Compartilhamentos

O turismo ainda é uma promessa no Amapá, e não é por falta das belezas naturais. O problema é estrutural, como o que acontece com o Trapiche Eliezer Levy, ex-cartão postal da cidade de Macapá que está sendo consumido pela ação do tempo e pela falta de manutenção. A Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa fez uma vistoria no trapiche na tarde desta quarta-feira, 29, para ver de perto o tamanho do prejuízo.

O que já foi cartão postal hoje está abandonado

O que já foi cartão postal hoje está abandonado

Sem iluminação e com a estrutura de ferro e madeira comprometida, o trapiche já não atrai mais os visitantes que gostam de apreciar a frente da cidade, num cenário que tem a Pedra do Guindaste com a imagem do Padroeiro São José, além do maior rio do mundo e o complexo Beira-Rio. O bondinho, então, nunca funcionou continuamente.

Deputados e engenheiros na área onde fica o também abandonado restaurante

Deputados e engenheiros na área onde fica o também abandonado restaurante

“Em função das denúncias recebidas na Assembleia, a Comissão de Turismo montou um cronograma de visitas aos principais pontos turísticos de Macapá. O objetivo é cobrar providências do governo do Estado para que esse locais sejam revitalizados e voltem a atrair os turistas”, argumentou a presidente da comissão, deputada Edna Auzier (Pros).

A prioridade foi a visita ao Trapiche Eliezer Levy, que de acordo com os membros da comissão, é o ponto mais frequentado nos fins de semana, mesmo não tendo a menor de garantia de segurança.

O bondinho, o principal atrativo do local, nunca funcionou direito

O bondinho, o principal atrativo do local, nunca funcionou direito

“A falta de iluminação se torna também um problema de segurança. As tábuas soltas e arrancadas acabam afastando as famílias que visitam o local nos fins de semana. Até a principal atração daqui, que é o bondinho, está parada. É preciso mudar esse quadro”, acrescentou a deputada.

A visita dirigida também contou com a presença do Núcleo de Engenharia Civil da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinf), que se comprometeu em finalizar os laudos técnicos para que a revitalização seja iniciada.

Nem a estrutura de ferro resistiu ao abandono

Nem a estrutura de ferro resistiu ao abandono

“Já iniciamos os levantamentos técnicos. Posteriormente faremos o levantamento orçamentário da obra. E por fim realizar a licitação para contratar a empresa que fará a revitalização do Trapiche”, explicou a engenheira Ruth Cléa Monteiro, sem definir data para o início da obra.

Segundo a representante da Seinf, o levantamento também está sendo feito nos demais pontos turísticos, como a Fortaleza de São José e o Monumento Marco Zero.

Parlamentares discutem com técnicos da Seinf o projeto de revitalização

Parlamentares discutem com técnicos da Seinf o projeto de revitalização

“Ainda estamos na fase de levantamento do orçamento e não podemos garantir uma data específica. Mas com o planejamento pronto podemos ter mais agilidade futuramente para que a revitalização dos pontos turísticos do Amapá seja realizada logo que houver a liberação do orçamento”, concluiu a engenheira.

A Comissão de Turismo vai continuar inspecionando outros pontos de visitação igualmente abandonados, como o Monumento do Marco Zero do Equador, Casa do Artesão e o Museu Joaquim Caetano da Silva. Tomará que dê resultados.

Reportagem e fotos: Anderson Calandrini

Compartilhamentos