Compartilhamentos

As obras da hidrelétrica Cachoeira Caldeirão embargadas no dia 08 de maio pelo Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial (Imap) estão liberadas. A liberação se deu desde que a empresa Energia de Portugal (EDP) não faça nenhuma modificação na área da ensecadeira que ainda está sob investigação. As obras estão sendo periciadas porque no último dia 07 as comportas da hidrelétrica foram abertas liberando grande fluxo de água, que atingiu cerca de 1.400 pessoas e deixou 40% do município de Ferreira Gomes debaixo d’água.

O embargo à obra foi por 10 dias para que o Imap pudesse iniciar as investigações sobre o que realmente ocorreu  e apontasse os culpados.

“Depois de 10 dias nós liberamos as obras novamente, mas a empresa se comprometeu em não fazer modificação da área que ainda está sendo periciada. A EDP se comprometeu a não realizar nenhuma obra nos próximos 20 dias, tempo hábil para que possamos concluir o laudo”, explicou o diretor do Imap, Luis Henrique Costa.

As obras foram liberadas, mas investigações para identificar culpados continuam

As obras foram liberadas, mas investigações para identificar culpados pela enchente continuam

Nesse período também deve ser elaborado um plano de ação conjunto entre as três hidrelétricas instaladas ao longo do rio Araguari, para que acidentes desse porte sejam evitados e a população tenha pelo menos a certeza que serão avisadas a tempo caso novos enchentes ocorram. Todas as hidrelétricas afirmaram em depoimentos que não tiveram culpa no incidente.

A EDP, primeira a liberar a passagem da água, afirmou que informou as demais hidrelétricas sobre a liberação das comportas horas antes da enchente. Ferreira Gomes Energia e Coracy Nunes afirmaram que não foram avisadas, e que se o aviso fosse feito a tempo o incidente poderia ser controlado e os estragos seriam bem menores.

De acordo com o Ministério Público, o Imap deve entregar o laudo sobre o acidente até o dia 17 de junho, 40 dias após a assinatura do Termo de Ajuste de Conduta.

O Ministério Público também reuniu com representantes da EDP e os moradores de Ferreira Gomes para acertar os valores das indenizações que serão pagas aos atingidos pela enchente. Depois de horas de reunião ficou acertado que as famílias atingidas receberão R$ 20 mil e os comerciantes R$ 35 mil.

Foto da Capa: chicoterra.com

Compartilhamentos