Compartilhamentos

No fim da tarde de sábado, 23, três cilindros que armazenavam sulfato de alumínio líquido na Estação Central de Tratamento de Água em Macapá se romperam causando o vazamento do produto. Ao todo, 48 mil litros de sulfato foram perdidos, porém o incidente não comprometerá o abastecimento de água aos cidadãos, segundo a Caesa.

Um dos cilindros com capacidade para 20 mil litros de produto rompeu completamente, afetando os outros dois que estavam ao lado.

“A pressão e o volume de sulfato de alumínio contido no cilindro que se rompeu comprometeu dois outros cilindros que racharam próximos a base, acarretando a perda de mais produto químico”, explicou a presidente da Caesa, Patrícia Brito.

Segundo a Caesa, não existe risco de contaminação do meio ambiente

Segundo a Caesa, não existe risco de contaminação do meio ambiente

“Os moradores do entorno da estação não precisam se preocupar, pois não há riscos para a saúde e para o meio ambiente, considerando-se o fato de que o sulfato de alumínio é utilizado para tratamento da água e foi completamente diluído durante a lavagem realizada pelo Corpo de Bombeiros”, explicou Claudinaldo Ferreira, Gerente de Monitoramento de Sistemas da Caesa.

A Caesa informou que o abastecimento de água tratada não será prejudicado.

“Nós temos sulfato de alumínio suficiente para tratar a água até a segunda-feira e, neste domingo, 24, outra carreta com o produto já está chegando a Macapá. Entramos em contato com o fornecedor de produtos químicos da Caesa que garantiu que enviará mais um carregamento na segunda-feira”, garantiu Patrícia Brito.

Compartilhamentos