Compartilhamentos

Os servidores da Justiça do Amapá decidiram nesta sexta-feira, 22, pela suspensão da greve que foi deflagrada no dia 19 de maio. A suspensão se deu por conta da decisão judicial proferida pelo juiz Luciano Assis, que considerou o movimento grevista ilegal, já que os servidores não mantiveram 30% dos servidores em atividade. Segundo o magistrado essa medida vai de encontro ao principio da continuidade do serviço público. Os servidores voltam a se reunir na semana que vem para decidirem o destino do movimento.

Como a decisão de Luciano Assis aplicava uma multa de R$ 50 mil ao Sindicato dos Servidores da Justiça (Sinjap) por cada dia de descumprimento, a categoria decidiu pela suspensão.

“Nós realizamos uma assembleia e decidimos acatar a decisão judicial enquanto aguardamos o resultado do recurso que impetramos. Vamos aguardar essa decisão e vamos nos reunir novamente no dia 27 ou 28, para decidirmos qual será o posicionamento do sindicato, já que dos 19 itens reivindicados apenas quatro foram negociados com o TJAP”, explicou o presidente do Sinjap, Jocenildo Moura.

A principal reivindicação da categoria é um reajuste salarial maior que os 4% ofertados pelo Tribunal de Justiça.

“Entramos em mesa de negociação na quinta-feira, 21, mas a presidência do Tjap reiterou que esse seria o maior reajuste que poderia ser alcançado. Agora, decidiremos pelo movimento na próxima semana em nova assembleia com a categoria”, concluiu.

 

Compartilhamentos