Compartilhamentos

A Comissão de Diretos Humanos da Assembleia Legislativa esteve nesta quarta-feira, 6, no Centro Socioeducativo de Internação Masculina (Cesein) e ouviu muitas reclamações de internos e servidores, especialmente sobre falta de higiene e acomodações adequadas.

Os menores relataram falta de higiene nos “alojamentos” (que na verdade são celas), colchões inadequados para o uso, alimentação de baixa qualidade, falta de médicos para atender alguns internos que apresentam problemas de saúde, além da necessidade de um mutirão judicial para avaliação dos que já cumpriram suas medidas socioeducativas e poderiam estar em liberdade.

"Sanitário" coletivo dos internos em uma das celas chamadas também de alojamentos. Fotos: Ascom

“Sanitário” coletivo dos internos em uma das celas chamadas também de alojamentos. Fotos: Ascom

Os internos também disseram que nem todos os dias tem direito ao banho de sol e práticas de esportes. O presidente da Comissão de Direitos Humanos, Pedro Da Lua (PSC) também conversou com o interno que agrediu o funcionário do Cesein na semana passada. Ele disse que apenas reagiu à forma como o funcionário estava tratando os colegas.

Funcionários mostram dormitórios onde a central de ar foi comprada com "vaquinha"

Funcionários mostram dormitórios onde a central de ar foi comprada com “vaquinha”

O presidente da CDH tentou falar com o educador agredido, mas ele está em licença médica tratando dos ferimentos. No entanto, servidores disseram que na verdade o educador agredido estava tentando defender outro colega que seria agredido quando foi atacado.

 Estrutura

 Os  funcionários aproveitaram para protestar contra as condições do centro, lembrando que no passado eles fizeram duas paralisações para cobrar do governo melhorias no centro. Além de não ter surtido efeito, servidores dizem que houve punições para quem participou dos atos.

Área externa destinada ao banho de sol e lazer. Ao lado do Conjunto Mucajá

Área externa destinada ao banho de sol e lazer. Ao lado do Conjunto Mucajá

Um dos servidores apresentou o dormitório dos funcionários, ironizando que a única diferença para as celas era a central de ar comprada graças a uma coleta dos funcionários.

“Essa é a mais transparente prova da falta de responsabilidade e competência politica da gestão estadual passada que deixou aquilo que era pra ser um centro de ressocialização para adolescentes infratores e em um pré-moldado do Iapen, transformando menores infratores em aspirantes a perigosos criminosos”, avaliou Da Lua.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos disse que vai cobrar do governo medidas urgentes dentro do Cesein. Na semana passada houve pelo menos 3 fugas. 

 

Compartilhamentos