Compartilhe

Humberto Baía, de Oiapoque – Alunos da Unifap, a maioria colegas do rapaz que morreu no fim de semana depois de inalar monóxido de carbono durante mais uma noite sem energia em Oiapoque, passaram parte da segunda-feira, 18, se organizando para um grande protesto. O ato público foi marcado para esta terça-feira, 19, a partir das 15 horas. 

A cidade de Oiapoque fica a quase a 600 km de Macapá, e está passando por racionamento de energia há quase duas semanas. Caminhões que transportam óleo diesel para a usina térmica da cidade tem dificuldades para vencer os atoleiros da BR-156. Os grupos geradores consomem até 21 mil litros de óleo diesel por dia.

Universitário escreve cartaz:  coordenação promete fazer barulho nas ruas. Fotos: Marcelo Reis

Universitário escreve cartaz: coordenação promete fazer barulho nas ruas. Fotos: Marcelo Reis

Na madrugada do último sábado, um estudante de enfermagem da Unifap morreu depois de passar a noite inteira inalando monóxido de carbono de um grupo gerador doméstico. Entre sábado e domingo Oiapoque ficou 17 horas sem energia.

Alunos da Unifap estiveram nesta segunda-feira no campus de Oiapoque preparando cartazes para o protesto de terça-feira, que ocorrerá a partir das 15 horas no monumento da cidade. Filhos de universitários (foto de capa), e professores ajudaram.

A mobilização acontece nas redes sociais, e promete levar centenas de moradores para as ruas.

Reportagem: Humberto Baía 

Compartilhe