Compartilhamentos

Um menino de apenas 11 anos pode ter sido assassinado numa comunidade no chamado “CD Rural”, próximo da Rodovia JK. O corpo dele estava dentro de um igarapé e foi encontrado pelo próprio pai depois de buscas no meio da mata com ajuda uma equipe do 1º Batalhão da Polícia Militar. O principal suspeito é um homem de 20 anos que foi o último a ser visto com o garoto. O acusado foi conduzido para a delegacia de polícia depois que os PMs encontraram com ele o celular da vítima. 

Ouça o que o sargento Denilson, do 1º BPM, diz a respeito do caso

Davyd Costa Anselmo, de 11 anos, era filho de caseiros de um imóvel da Justiça que fica dentro do CD Rural. O menino, que segundo parentes precisava de medicamentos controlados, sempre era visto brincando com outras crianças, especialmente de futebol.

Ontem à tarde ele foi visto por vizinhos aparentando estar grogue. O garoto estava na companhia de Jordan Filipe dos Santos Melo, de 20 anos. Quando a família já preocupada avisou a polícia, por volta das 21 horas, Jordan, que mora nas proximidades, foi o primeiro a ser procurado para ser interrogado.

Suspeito foi conduzido pela PM até o Ciosp do Pacoval. O celular do menino estava com ele

Suspeito foi conduzido pela PM até o Ciosp do Pacoval. O celular do menino estava com ele

Inicialmente ele negou que tivesse visto o menino, mas depois disse que o viu em um igarapé da localidade. Da Rodovia JK até o ramal onde o menino foi visto pela última vez são quase 2 quilômetros de distância, e mais 500 metros até o igarapé.

Os policiais, vizinhos e parentes começaram a procurar na mata com ajuda de Jordan, até que um policial sugeriu ao pai que mergulhasse no igarapé. A suspeita foi certeira. O pai, em choque, encontrou o corpo do filho. Parentes se desesperaram ao ver o menino morto nos braços do pai.

Perito da Politec entra na mata em busca do corpo do menino

Perito da Politec entra na mata em busca do corpo do menino

No meio do desespero, os policiais perceberam que Jordan havia desaparecido. Imediatamente uma viatura foi atrás e o localizou já próximo da Rodovia JK. Na revista os policiais encontraram dois celulares com o suspeito. Uum dos aparelhos foi reconhecido pelo caseiro como sendo o celular o filho.

Jordan foi conduzido até o Ciosp do Pacoval como o principal suspeito do possível assassinato, e até às 9 horas da manhã ainda não havia prestado depoimento. Um detalhe chamou atenção da polícia no corpo do menino. Ele usava um cordão prateado. A família diz que Davyd não possuía joias.

Em tempo – Apesar de o acusado ter sido encontrado com o celular do menino e ter tentado fugir, ainda pela manhã o delegado plantonista liberou o acusado por falta de provas

Reportagem e fotos: Jair Zemberg

Compartilhamentos