Compartilhamentos

Funcionários da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) deram um exemplo que serve para outras categorias, sejam do funcionalismo público ou da iniciativa privada. Eles se reuniram e conseguiram juntar alimentos suficientes para montar 100 cestas básicas que foram entregues neste sábado, 2, a portadores de câncer atendidos pelo Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma)

“Nós não podíamos deixar de prestigiar o Ijoma, que luta incansavelmente. Essa instituição cuida de pessoas com uma doença grave, inclusive, de funcionários nossos. Esse ato é um gesto de amor aqueles que possuem mais dificuldades que a maioria das pessoas”, destacou a secretária adjunta de Fazenda, Neiva Nunes.

Famílias que receberam as cestas. Fotos: Cássia LIma

Famílias que receberam as cestas. Fotos: Cássia LIma

A ação foi muito comemorada pelos associados do Ijoma. Na oportunidade as mulheres foram homenageadas pelo Mês das Mães. A dona Ana Maria Marques da Silva, de 60 anos, discursou em nome de todas as mulheres portadoras de câncer e mães no Ijoma.

“Esse ato é simbólico, mas é um gesto de amor. Hoje o Ijoma não é só um instituto, é uma grande casa com família acolhedora que cuida de todos os pacientes”, frisou ela que luta contra um câncer de mama.

Ana Maria, de 60 anos, falou em nome dos pacientes

Ana Maria, de 60 anos, falou em nome dos pacientes

 O Ijoma é um instituto sem fins lucrativos que nasceu há quase 10 anos com a finalidade de dar atendimento social aos portadores de câncer que são pobres, especialmente os que vem do interior do estado em busca de tratamento na capital. O instituto sobrevive com ajuda de voluntários para cuidar dos doentes e de caridade com ajuda financeira.

“A sociedade amapaense está compreendendo o que é o Ijoma e sua importância social. Quando uma instituição se mobiliza para ajudar o próximo com alimentos e dedicação de tempo isso significa muito mais que caridade, significa se pensar de fato no próximo. É isso que representa esse ato”, avaliou o presidente do Ijoma, padre Paulo Roberto Matias.

Padre Paulo: "a sociedade está entendendo"

Padre Paulo: “a sociedade está entendendo

 “Nós somos abençoados por termos uma casa de apoio, pelo padre lutar por todos e principalmente pela sociedade compreender que essa doença não é fácil. Agradecemos os servidores porque isso me dá força de lutar pela minha vida e por outras também”, disse Reinaldo Trindade Ferreira, de 45 anos, portador de medula óssea há um ano e dez meses.

Compartilhamentos