Compartilhamentos

Chega logo mais, às 17 horas, no Aeroporto Internacional de Macapá, Elmer Helen Oliveira Melônio, 34 anos, considerada a maior traficante de drogas do Amapá. Ela está presa no Pará onde tinha um hotel que, segundo a polícia, servia como fachada para a organização. Seriam dela os 155 quilos de crack encontrados em fevereiro numa propriedade rural de Santana na maior apreensão da história do Amapá.

Elmer é investigada pela Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE). De acordo com a polícia, ela teria assumido os negócios quando o marido, Luiz Carlos Teixeira, o “Carlinhos”, foi transferido para Catanduvas (PR) junto com Wagner Melônio.

No dia 11 de fevereiro a DTE fez a maior apreensão de crack da história

No dia 11 de fevereiro, a DTE fez a maior apreensão de crack da história do AP. Foto: Seles Nafes

Os dois são condenados como mandantes do assassinato do agente penitenciário Clodoaldo Brito Pantoja, ocorrido em 2012. Elmer também é condenada pelo crime porque teria feito o pagamento aos executores também presos.

A prisão de Elmer ocorreu na Ilha de Mosqueiro uma semana depois da apreensão dos 155 quilos de crack. No mesmo dia da prisão dela a polícia também cumpriu mandado contra Benedito Paiva Mendes, considerado o “tesoureiro” do grupo. Ele foi preso no Bairro dos Remédios II, em Santana. Era ele, segundo a polícia, quem também transportava as remessas de crack em lanchas fretadas para o Amapá.

Delegado George Salvador, da DTE, comanda as investigações. Foto: André Silva

Delegado George Salvador, da DTE, comanda as investigações. Foto: André Silva

“Ainda estamos procurando por um terceiro criminoso, Natal Lima, que no início das investigações ainda não era suspeito”, explicou o delegado George Salvador, que comanda as investigações.

O quarto elemento preso é Antenor Silva Picanço, que estava guardando a droga em Santana quando a polícia chegou. O carregamento apreendido renderia mais de R$ 2 milhões à quadrilha, segundo a polícia.

Compartilhamentos