Compartilhamentos

Representantes dos profissionais de saúde da rede estadual, que ameaçam entrar em greve, iniciaram na tarde desta terça-feira, 12, as negociações com o governo do Estado. Durante dois dias a categoria fez manifestação em frente ao prédio da Secretaria de Saúde e do palácio do governo.  A reunião entre os gestores e o sindicato da categoria acontece a portas fechadas em uma das salas da Escola de Administração Pública (EAP), no Centro de Macapá.

Enquanto dirigentes do sindicato debatiam com os secretários estaduais de Planejamento, Administração e Saúde, vários servidores se aglomeravam em frente a EAP aguardando por uma resposta positiva. Essa resposta positiva, segundo eles, é o reajuste salarial de 36%. Se a resposta for negativa a categoria cruza os braços.

Servidores se aglomeravam em frente a EAP onde acontecem as negociações

Servidores se aglomeram em frente a EAP onde acontecem as negociações

“Tudo isso não é apenas pelo aumento de salário, mas também pela valorização da categoria, que hoje se sente prejudicada pelas precariedades encontradas dentro dos hospitais públicos. Pois enquanto os gestores estão dentro de seus gabinetes, nós que estamos na linha de frente sofremos por conta dos erros governamentais”, reclamou a enfermeira do município de Santana, Maria Chagas.

Até o fechamento desta matéria todos ainda estavam reunidos discutindo a pauta de reivindicações. Só após esses encaminhamentos é que a categoria vai decidir pela greve ou não.

 

Compartilhamentos