Compartilhamentos

Uma das suspeitas de encomendar a morte da psicóloga Daiane Patrícia dos Santos Nogueira, de 27 anos, em abril, foi ouvida nesta quarta-feira, 20, pelo delegado que investiga o caso, Alan Moutinho. A principal linha de investigação é vingança por uma confusão ocorrida no dia anterior ao assassinato.

A suspeita está morando em um abrigo da Justiça porque alegou estar sofrendo ameaças de morte. Ele foi levada escoltada até a Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (Decipe) onde prestou depoimento pela primeira vez.

Daiane foi morta no dia 3 de abril. Foto: Rede Social

Daiane foi morta no dia 3 de abril. Foto: Rede Social

“Nós queríamos confrontar o que ela diz com algumas informações que nós temos”, justificou o delegado preferindo não entrar em detalhes.

Daiane foi assassinada na porta de casa no dia 3 de abril no Bairro Jardim Felicidade, Zona Norte de Macapá. Um dia antes, ela tinha sido conduzida para a Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM) por se envolver em uma briga com a ex-companheira do namorado por causa de pensão alimentícia. Essa ex-companheira é quem foi prestar depoimento hoje.

Ao todo, seis pessoas estão sendo investigadas, três seriam as mandantes, e outras três seriam os executores. Todos já foram identificados.

Por enquanto a tese de motivação por pensão alimentícia ou divisão de bens está descartada pela polícia.  

 

Compartilhamentos