Compartilhamentos

A família e os amigos de Carlos Daniel, menino de 7 anos (na foto acima com máscara do Homem-Aranha) que morreu lutando contra a leucemia no último dia 21, decidiram manter o bingo beneficente que ia ajudar na permanência do menino em São Paulo. Agora o dinheiro que for arrecadado vai auxiliar dezenas de crianças que estão na mesma situação de Carlos, em tratamento no Hospital Santa Marcelina, em São Paulo.

O bingo está confirmado para o dia 7 de junho. A morte do garoto ganhou força e repercussão como um exemplo de batalha contra a doença e a burocracia do Estado.

Agenilson, pai de Carlos: a luta agora é por outras crianças como Carlos

Agenilson, pai de Carlos: a luta agora é por outras crianças como Carlos

“Só quem vive essa realidade pode saber de que forma somos destruídos por essa doença. Uma dor que aumenta quando não há condições financeiras para buscar um tratamento tão caro. Por isso estamos realizando esse bingo, para ajudar outras pessoas que estão em São Paulo sem condições de se manter”, justifica o pai de Carlos, Agenilson Pereira.

A arrecadação da festa será muito bem vinda para 30 crianças do Amapá que estão no Santa Marcelina. “Muitas pessoas falam que isso não passa de promoção própria. Mas eles estão enganados, são pessoas que não são filhos, netos, sobrinhos ou avós de pessoas com câncer. Muitos me criticam, mas pouco tem coragem de tomar uma iniciativa para ajudar o próximo de forma tão direta”,  lamentou o pai.

30 crianças do AP estão no Santa Marcelina

30 crianças do AP estão no Santa Marcelina

O objetivo é comprar roupas e cestas básicas. Agenilson não quer que o sofrimento de Carlos seja em vão. Junto com amigos ele está montando uma ong para auxiliar crianças pobres em tratamento. Será a Fundação Carlos Daniel.

A futura entidade vai lutar por investimentos na rede pública de saúde e orientar as famílias que não conseguem vencer a burocracia dos programas de assistência do Estado. O mais famosos deles é o Tratamento Fora do Domicilio (TFD).

“Muitos não sabem, mas o último repasse feito pelo governo para o tratamento do Carlos veio após uma decisão judicial. Tudo porque não conseguia todos os documentos que eram solicitados pelo TFD, que sempre pedia algo a mais para dificultar o repasse do dinheiro. Isso é um exemplo que mostra as dificuldades sofridas. Eu tinha esclarecimento para buscar os direitos do Carlos, mas existem muitas pessoas que não tiveram estudo e hoje sofrem, pois são sempre engolidas pelo TFD”, concluiu.

Quem quiser participar do bingo vai poder comprar cartelas na Casa do Motoqueiro, Comercial Luiz, CL Financeira. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones 981378424 e 991456921. A festa, que será na Aerc, terá também atrações musicais como a banda Ômega 3, Adail Júnior e Finéias Nelutty.

Reportagem: Anderson Calandrini

Compartilhamentos