Compartilhamentos

Professores da Universidade Federal do Amapá (Unifap) paralisaram suas atividades nesta quinta-feira, 14, em apoio ao dia nacional de mobilização dos servidores públicos federais. A categoria ensaia uma paralisação mais longa de cinco dias entre 25 e 29 de maio. As reivindicações giram em torno de melhorias salariais e o combate a precariedade estrutural do ensino superior público.

”As condições de trabalho e estudo são precárias dentro da universidade. Hoje é um dia de alerta e uma forma de pressionar o governo federal para que promova as melhorias para os servidores federais, principalmente nas universidades”, explicou o presidente do Sindicato dos Docentes da Unifap (Sindufap), André Guimarães.

Professores da Unifap devem fazer nova paralisação de cinco dias

Professores da Unifap devem fazer nova paralisação de cinco dias

Uma reunião com o Ministério de Planejamento está marcada para o fim da tarde desta quinta-feira. O encontro vai servir para discutir as reivindicações dos professores, entre eles melhoria salarial, valorização de carreira e o fim dos cortes nas verbas das universidades.

A última greve dos professores das universidades foi em 2012 e durou quase cinco meses. Para os alunos da Unifap, a greve é único meio de forçar o governo a respeitar garantias constitucionais dos servidores federais. “Nós sabemos que uma possível greve atrasa nosso calendário e prejudica principalmente quem esta no 7º ou 8º semestre. Mas apoiamos os professores, pois sentimos na pele a precarização da universidade”,  destacou a estudante de Letras, Cintia Souza.

 

Compartilhamentos