Compartilhamentos

Os deputados da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa estiveram nesta segunda-feira, 25, no Hospital de Emergência de Macapá, e encontraram problemas como a falta de medicamentos, equipamentos e leitos quebrados, além de pacientes à espera de cirurgias há muito tempo. A comissão informou que pretende sugerir aos órgãos de fiscalização uma auditoria em todos os setores do hospital.

A visita técnica foi acompanhada pela administradora do hospital, Maria do Carmo Valente, e o diretor do Hospital de Emergência, Edmilson Castro Ribeiro.

Deputados conversam com paciente à espera de cirurgia há 3 meses. Foto: Jaciguara Cruz

Deputados conversam com paciente à espera de cirurgia há 3 meses. Foto: Jaciguara Cruz

Alguns deputados da comissão são médicos, no caso Antonio Furlan (PTB) e Jaci Amanajás (PROS), presidente da comissão. Pacientes se queixaram aos parlamentares sobre o tratamento de alguns funcionários e até sobre a falta de material para curativos.

Os deputados conversaram com a acompanhante de Ruan Ramos, 20 anos, que há mais de três meses aguarda pela cirurgia depois de um acidente de trânsito.  

Os deputados voltaram a encontrar problemas como a falta de exames de raio-X e tomografia, serviços que foram terceirizados. Os pacientes precisam ir até uma clínica particular para fazer os exames.

“Enquanto isso os equipamentos estão parados à espera de um técnico da empresa fornecedora Philips para realizar a manutenção. Em maio do ano passado técnicos da empresa realizaram uma avaliação e até hoje não retornaram”, explicou a administradora Maria do Carmo Valente.

Os deputados viram ainda banheiros sem chuveiros onde pacientes precisam tomar banho usando copos. Enfermarias e outras salas também não possuem ar condicionado.

O HE está sem exames de raio-x e tomografia

O HE está sem exames de raio-x e tomografia

“Parece muito mais um hospital de guerra. Precisamos entrar em contato com as empresas Philips e solicitar respostas deles quanto ao descaso com a manutenção desses equipamentos essenciais as vitimas de traumas”, desabafou o deputado Jory Oeiras (PRB).

O Hospital de Emergência é o único hospital de pronto socorro da capital, e atende também pacientes de todos os municípios do Amapá e de parte do Pará.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde do Estado informou que o secretário de Saúde Pedro Leite irá se pronunciar nesta terça-feira, 26, sobre os comentários dos deputados. Na semana passada o governo anunciou o início de um processo para aquisição de 20 aparelhos de raio-x.

Compartilhamentos