Compartilhamentos

Os professores e técnicos da Universidade Estadual do Amapá (Ueap) entraram em greve por tempo indeterminado nesta quarta-feira, 10. Eles cobram aumento salarial, reformas nos campus da instituição e plano de cargos e carreira para os técnicos.

As categorias alegam que não houve avanços nas mesas de negociações realizadas a partir do fim de abril.

“Continuamos cobrando o reajuste de 16,6% para os professores e o envio do plano de cargos e salários dos técnicos que foi montado mas não foi enviado para a apreciação da Assembleia Legislativa”, explicou a professora Daniele Dias. Também consta na pauta de pedidos mais investimentos no campus 1 e 2 da Ueap.

Professores e técnicos decidiram paralisar todos os setores, com exceção do protocolo e secretaria

Professores e técnicos decidiram paralisar todos os setores, com exceção do protocolo e secretaria

Os servidores também decidiram nesta manhã que todas as aulas estão suspensas e que apenas os serviços essenciais, como protocolo e a secretaria, devem funcionar durante a greve em apenas um turno para não prejudicar ainda mais os alunos.

A Secretaria de Administração do Estado informou que os funcionários da Ueap serão recebidos na chamada “Agenda do Servidor”, marcada para o próximo dia 18. 

Compartilhamentos