Compartilhamentos

 

A Polícia Civil de Macapá concluiu o inquérito sobre o assassinato do carnavalesco da Maracatu da Favela Francisco das Chagas Pereira, de 48 anos. O delegado que conduziu as investigações, Ronaldo Coelho, indiciou o modelo Sérgio Luiz por três crimes: homicídio, furto e ocultação de cadáver.  O delegado rebateu os argumentos da defesa de que não houve o crime de furto.

A defesa diz que os objetos encontrados na casa do modelo logo após o crime, entre eles um secador de cabelo, cintos, mala de viagem, computador e caixa amplificada, foram emprestados pela vítima. A TV LCD teria sido um presente. Os dois tinham um relacionamento amoroso.

Modelo teria até mandado lavar o carro da vítima

Modelo teria até mandado lavar o carro da vítima

“Mas e o carro?”, questiona o delegado. “O Sérgio matou, colocou os objetos e a vítima no carro, e desovou o corpo no ramal do conjunto Alphaville. Depois disso ficou dois dias na farra com o carro da vítima. Ele foi pro Esquenta com amigos na mesma madrugada, e passou o domingo inteiro com o carro. Foi até na Praça do Coco e pagou R$ 10 pra um flanelinha lavar o carro”, acrescentou Coelho.

Francisco das Chagas foi morto na madrugada do dia 31 de maio, por volta da 00h30min, em sua casa no Ramal CD Rural, próximo da Rodovia JK. Ele foi enforcado com um golpe de artes marciais. O modelo confessou o crime e continua preso no Iapen.

Na manhã desta terça-feira, 9, o delegado Ronaldo Coelho entregou o inquérito para a Corregedoria de Polícia onde as páginas serão microfilmadas e encaminhadas ao Ministério Público, que tem 5 dias de prazo para oferecer denúncia à Justiça, já que se trata de réu preso.

Compartilhamentos