Compartilhamentos

Motoristas e cobradores de ônibus de Macapá vão receber 9% de reajuste salarial das quatro empresas que operam o transporte público na capital. O percentual foi confirmado na manhã desta quarta-feira, 17, pelo Sindicato dos Rodoviários do Amapá (Sincotrap) e representantes do Sindicato das Empresas de Transportes (Setap). O reajuste é um dos sete benefícios adquiridos em audiência no Ministério Público do Trabalho.

Os trabalhadores reivindicavam um reajuste de 17% nos salários, além da redução da jornada diária de trabalho, aumento do vale alimentação para R$ 600 e aumento do fundo mensal repassado para o Sincotrap de R$ 15 mil para auxílio médico.

Motoristas e cobradores já haviam voltado ao trabalho hoje pela manhã

Motoristas e cobradores já haviam voltado ao trabalho hoje pela manhã

Na verdade os rodoviários possuíam uma lista com 20 reivindicações, mas foram ajustadas com o Setap e ficou assim: reajuste de 9% integral, cesta básica de 400 reais em espécie, assiduidade de 2%, cota de 5% para motoristas do sexo feminino, auxilio médico de R$ 17 mil, reforma e ampliação das linhas de ônibus de Macapá e Santana. Além da implantação da catraca no eixo dianteiro dos veículos.

“Consideramos a audiência muito positiva e vitoriosa para categoria. Conseguimos as cotas para mulheres e isso é uma grande vitória para a classe trabalhista. Mas ainda queremos discutir a participação nos lucros e o auxílio creche”, considerou o diretor do Sincotrap, Genival Costa.

Os pontos acordados devem ser cumpridos no prazo de seis meses, caso contrário as empresas serão punidas pelo Ministério Público do Trabalho. Participaram da reunião representantes da CTMac, MPT, Sincotrap e advogados das categorias.

Os rodoviários promoveram uma manifestação em frente à prefeitura de Macapá na última terça-feira, 16. O Sindicato falava em 60% e as empresas em menos de 10% de paralisação. O ato público reuniu cerca de 30 profissionais entre motoristas e cobradores no fim da manhã de ontem.

Compartilhamentos