Compartilhamentos

A greve dos rodoviários de Macapá foi extremamente afetada pela dissidência. A maioria dos 1,6 mil profissionais trabalhou normalmente na manhã desta terça-feira, 16, apesar do estado de greve deflagrado pelo Sindicato dos Rodoviários (Sincottrap). Até às 8h30min, apenas um ônibus da União Macapá havia parado no ponto de concentração do movimento na Avenida FAB, em frente à Praça da Bandeira. Pela manhã, houve confusão entre seguranças das empresas e sindicalistas.

As empresas contrataram seguranças alegando que precisam garantir a integridade dos veículos e dos funcionários que não concordavam com a greve. Mas os sindicalistas dizem que eles estavam forçando os motoristas a continuar trabalhando. “Praticamente obrigaram um motorista que queria parar aqui a continuar dirigindo”, disse o vice-presidente do Sincottrap, Max Délis. 

Vice-presidente do Sincottrap, Max Délis: confusão com seguranças

Vice-presidente do Sincottrap, Max Délis: confusão com seguranças

O Setap alegou que a presença de seguranças pretende evitar cenas de violência contra profissionais que estão furando a greve, mas o que ocorreu em 2008. “Um motorista não quis aderir e quando passou com o veículo foi atingido por uma pedra lançada pelos grevistas. O motorista ficou com sérios problemas porque os olhos foram atingidos”, garantiu o assessor do Setap Renivaldo Costa.

A greve começou oficialmente a partir de meia-noite. Ao todo quatro empresas operam o sistema de transportes coletivos da capital com cerca de 200 ônibus atendendo 100 mil usuários por dia. A que detém a maior quantidade de linhas é a Sião Thur, com 67% do total de itinerários. 

Sião Thur tem 67% das linhas de Macapá e operou normalmente até o início da manhã. Fotos: André Silva

Sião Thur tem 67% das linhas de Macapá e operou normalmente até o início da manhã. Fotos: André Silva

A Companhia de Trânsito de Macapá emitiu portaria autorizando que os táxis possam transportar mais de um passageiro, a chamada “lotação”, que normalmente é proibida. 

O trecho da Avenida FAB no perímetro da Praça da Bandeira foi fechado. Os ônibus que circulam no sentido Centro/Santa Rita estão dobrando na Rua General Rondon, seguem pela Avenida Procópio Rola e depois pelas ruas Eliezer Levi ou Leopoldo Machado, dependo da linha. 

Visualmente a impressão é de que poucos ônibus pararam. A Expresso Marco Zero estava rodando com 100% da frota. A Sião Thur teve algumas paralisações na garagem da Zona Norte, mas o Setap disse que a empresa opera normalmente.

Ônibus lotados pela manhã por que houve alguns atrasos e adesões

Ônibus lotados pela manhã por que houve alguns atrasos e adesões

O Sincottrap admitiu que o movimento foi enfraquecido, mas acusou as empresas de intimidação. Já as empresas dizem que a dissidência é forte no movimento porque a maioria já aceitou a proposta de reajuste de 9% retroativo a primeiro de maio e aumento do vale alimentação para R$ 400.

Compartilhamentos