Compartilhamentos

Na tarde desta segunda-feira, 8, a gerência de Marketing do Grupo Fortaleza se posicionou sobre o acidente que terminou com a morte do contador de estoque Marcelo Castro Gomes, de 36 anos, que foi esmagado pelo baú de uma carreta quando descansava na hora do almoço. O grupo culpou duas pessoas, incluindo a vítima. 

João Rabelo Fortaleza

João Luiz Rabelo – Gerente de Marketing

Segundo o gerente de marketing do grupo, João Luiz Rabelo, não havia necessidade do funcionário estar deitado debaixo da carreta, já que a empresa possui um local apropriado para o descanso dos funcionários. “Infelizmente não podemos conter o livre arbítrio dos funcionários, e a irresponsabilidade acabou virando uma fatalidade, pois ele estava em local impróprio para descanso, mesmo com a nossa oferta de uma casa para receber os funcionários no horário de descanso do almoço, localizada ao lado do depósito. Não podemos informar porque ele estava deitado abaixo da carreta”, explicou o gerente.
O Gerente também destacou a irresponsabilidade do motorista da carreta em não deixar o contêiner em uma posição segura. 
“Não tivemos o controle sobre o contêiner, que é de responsabilidade de uma prestadora de serviço nossa. A carreta estava cheia. Não aguentou a trepidação e acabou cedendo, atingindo o funcionário”, acrescentou.
O Grupo Fortaleza destacou que já está fornecendo todo o atendimento necessário aos parentes da vítima.
Apesar de culpar o funcionário que morreu e o motorista da carreta, e ainda dizer que o grupo oferece uma casa de descanso, assessoria não explicou porque a empresa não proibia os funcionários de descansar num local tão perigoso.

Compartilhamentos