Compartilhamentos

A Caravana do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), responsável pelo financiamento de ações nos estados e municípios, esteve no Amapá na segunda-feira, 29, para tirar as dúvidas sobre a prestação contas dos investimentos que são feitos na educação. A falta de conhecimento técnico tem sido o principal fator para o retorno dos recursos ao tesouro nacional.

Prefeito de Vitória do Jari:

Raimundo Alcimar, prefeito de Vitória do Jari

A dificuldade é geral. A falta de formação técnica para a prestação de contas tem causado grandes prejuízos para as secretarias de educação, principalmente do interior.

“Nos meus dois anos de mandato essa foi uma grande dificuldade para a manutenção dos recursos. Sem técnicos aptos para fazer a prestação de contas, tivemos problemas que poderiam resultar em bloqueio dos recursos do FNDE, que hoje financiam 80% da educação de Vitória do Jari”, afirmou o prefeito Raimundo de Alcimar de Souza (PT).

Essa é uma realidade que atinge todos os municípios do Amapá. Para se ter uma idéia, até abril deste ano nenhuma prefeitura havia apresentado com sucesso a prestação de contas referente aos investimentos de 2014.

Ildivan Alencar: tirando todas as dúvidas

Ildivan Alencar: tirando todas as dúvidas

“É por conta dessa necessidade que a nossa caravana tem percorrido o Brasil. Estamos fazendo atendimentos individuais e em conjunto, para facilitar ao máximo o conhecimento dos gestores na administração dos recursos, que podem ser perdidos facilmente sem a prestação de contas adequada. Quando isso acontece, muitas prefeituras enfrentam dificuldades financeiras”, explicou o presidente do FNDE, Idilvan Alencar.

Esse problema prejudica diretamente os sistemas educacionais. “Nós temos um objetivo fundamental, que é evitar que os recursos destinados ao Amapá retornem para o tesouro nacional. Precisamos garantir o acesso a esses recursos que garantem desde o giz usado pelos professores, até a construção de novas escolas ou centros educacionais”, enfatizou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL), que articulou a visita dos representantes do FNDE ao Amapá.

A caravana fica no Amapá até o fim da manhã desta terça-feira, 30, para garantir que todas as dificuldades de prestação de contas sejam sanadas.

Compartilhamentos