Compartilhamentos

Foi remarcada para esta quarta-feira, 24, a votação do Plano Municipal de Educação na Câmara de Vereadores de Macapá. O projeto gerou polêmica porque pretende transformar ideologia de gênero em política pública educacional no âmbito do município. Grupos organizados se manifestaram contra a aprovação do plano que acabou sendo retirado da pauta de votação.

“É muito perigoso aprovar uma norma sem debate com a comunidade. Nós compreendemos que ideologia de gênero é uma responsabilidade das famílias, e a escola não deve definir a orientação sexual do meu filho. Queremos debater mais esse assunto”, declarou a apóstola do Ministério Betel, Simone Palheta.

Simone Palheta: a responsabilidade é da família

Simone Palheta: a responsabilidade é da família

Para o presidente da Comissão de Educação da Câmara de Macapá, vereador Washington Picanço (PSB) o plano já atende às “mudanças sociais” que irão ocorrer nos próximos 10 anos.

“Claro que cabe aos pais orientar seus filhos, mas a escola pode ajudar nesse processo. Devemos destacar que o projeto abrange as mudanças sociais que ocorrerão nos próximos anos. Essa é a nossa futura realidade”, argumentou o vereador.

O vereador Washington acredita que isso já é o futuro

O vereador Washington acredita que isso já é o futuro

Se o plano for aprovado, os grupos conservadores entendem que as escolas municipais que atendem crianças de 3 anos a 10 anos vão ensinar que não se nasce nem homem nem mulher e que as crianças devem escolher sua identidade sexual livremente, sem interferência dos pais. 

Para a vereadora Aline Gurgel (PR), o plano deve seguir os preceitos da Constituição Brasileira que diz que é atribuição da família a obrigação de criar e orientar sexualmente seus filhos.

“Eu não sou contra o plano, mas sim contra a ideologia de gênero. Por isso vou entrar com requerimento para excluir ideologia de gênero do plano. Isso não é competência do Estado  é sim dos pais”, afirmou a vereadora.

Aline Gurgel: requerimento para retirar a ideologia de gênero do plano

Aline Gurgel: requerimento para retirar a ideologia de gênero do plano

O projeto foi lido em caráter de urgência nesta terça-feira, 23, e está sendo analisado pela Comissão de Educação. Amanhã, segundo a legislação municipal, é a data limite para aprovação do plano. Vários grupos e segmentos religiosos prometeram se manifestar contra o projeto durante a sessão de votação.

Compartilhamentos