Compartilhamentos

Um dos bandidos mais perigosos de Macapá foi morto durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na noite deste domingo, 14, no Bairro Infraero I, Zona Norte de Macapá.  Williame Pinheiro, o Urica, ia completar 18 anos em outubro deste ano e já respondia a 11 processos, entre homicídio, roubo,  tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.  O comparsa dele, preso na operação, tem uma ficha com 21 processos.

Por volta das 21 horas, o Bope recebeu denúncia anônima de uma moradora da Rua Maria Neusa do Carmo, no fim do Infraero, relatando que numa casa havia dois suspeitos usando maconha desde cedo. O cheiro da fumaça da droga era sentida longe. Além disso, em alguns momentos os elementos saiam da residência empunhando armas para amedrontar moradores.

Maconha em cápsulas prontas para comercialização

Maconha em cápsulas prontas para comercialização

Segundo o Bope, assim que a equipe chegou constatou a movimentação na casa e fez o cerco. Um menor de 17 anos, conhecido como Marrone, pulou pela janela e foi apanhado pelos policiais.  Mais tarde, na revista à mochila dele, os policiais encontraram uma grande quantidade de maconha em porções grandes e também embalada para comercialização.

Pistola que Urica teria usado

Pistola que Urica teria usado

Urica ficou dentro da casa, e teria se recusado a sair. A equipe invadiu o imóvel e teria sido recebida a tiros. A pistola que seria de Urica foi exibida depois. O criminoso foi atingido por pelo menos dois tiros no peito. Moradores ainda ajudaram a socorrê-lo, mas ele morreu no Hospital de Emergência.

Entre os muitos crimes atribuídos a Urica, um dos mais recentes foi o assalto a um depósito da Secretaria de Administração do Estado (Sead), também no Infraero I, quando três vigilantes foram feitos reféns. Urica se entregou, foi apreendido e levado para o Centro Socioeducativo de Internação Masculina (Cesein) de onde fugiu uma semana depois.

Urica apreendido no dia 18 de maio depois de 4 quatro de negociação para libertar reféns no depósito da Sead.

Urica apreendido no dia 18 de maio depois de 4 quatro de negociação para libertar reféns no depósito da Sead

Urica também era acusado de matar um vigilante em uma Unidade de Saúde do Bairro Marabaixo I, Zona Oeste, há cerca de 2 anos. No ano passado ele trocou tiros com policiais do Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM) depois de um assalto. Ele foi atingido com um tiro na perna e capturado.

Compartilhamentos