Compartilhamentos

Antes que o governo do Estado comece a leiloar as concessões de uso da Floresta Estadual do Amapá (Flota) para projetos econômicos sustentáveis, os técnicos do Instituto Estadual de Floresta (IEF) e do Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Estado do Amapá (Imap) ainda precisarão finalizar o levantamento socioeconômico das pessoas que serão atingidas pela distribuição das áreas. O levantamento segue até o dia 18 de junho e pretende facilitar o acesso dessas comunidades aos insumos que serão gerados pela Flota.

A Flota é uma área de aproximada 146 mil hectares que será leiloada em lotes para a iniciativa privada, com o intuito de garantir uso madeireiro sustentável com base em planos de manejo.

“Mas antes que possamos entregar as concessões deveremos saber quantas pessoas devem ser atingida direta e indiretamente pelo uso das áreas, para que essas sejam as primeiras a receber os benefícios financeiros que deverão entrar como forma de pagamento ao Estado,” explicou o diretor do IEF, Mário Tenório.

PGE encontrou disparidades na quantidade de famílias identificadas

PGE encontrou disparidades na quantidade de famílias identificadas. Fotos: Alex Silveira/Agência Amapá

O levantamento é o cumprimento de um pedido feito pela Procuradoria Geral do Estado que percebeu que havia incoerências no levantamento sobre a quantidade de famílias a serem atingidas, realizado em 2014. Motivo que levou ao cancelamento do processo de licitação da área em março de 2015.

“Em um primeiro momento os relatórios apontaram 300 famílias, e em um segundo cerca de 4 mil, o que mostra que algo estava errado no levantamento realizado”, explicou.

E para ter a real quantidade de famílias os técnicos estão obedecendo um cronograma de visitas às áreas para saber quem realmente será atingido pelas concessões.

“Contamos com a parceria de moradores das áreas que estão nos ajudando a identificar quais sãos os reais moradores das áreas do entorno da Flota para não cometermos nenhuma injustiça, e deixar, por exemplo, famílias antigas sem receber os auxílios financeiros necessários”, concluiu.

Só depois de concluído o processo de identificação dessas famílias e de suas  áreas é que o leilão vai ocorrer. Com a implantação da Flota, as famílias terão, entre outros benefícios, a qualificação de mão para serem aproveitadas pelas empresas que se instalarão na unidade.

Cronograma que está sendo seguido pelo Governo:

Vila Nova – Porto Grande: 9 a 18 de junho

Nova Canaã – Porto Grande: 9 a 18 de junho

Rio Camaipi – Mazagão: 25 de junho a 4 de julho

Rio Vila Nova – Porto Grande: 25 de junho a 4 de julho

Rio Piaçacá – Porto Grande: 8 a 18 de julho

Rio Cupixi – Porto Grande: 8 a 18 de julho

Rio Vila Nova – Mazagão: 8 a 18 de julho

Compartilhamentos