Compartilhamentos

O fim de semana foi bem violento também no município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá. Entre os crimes, um chamou atenção pelo local onde ocorreu: dentro da antiga sede da prefeitura da cidade, na Área Portuária. O lugar hoje é habitado por usuários de drogas e moradores de rua.

De acordo com testemunhas, uma mulher foi esfaqueada no pescoço por outra mulher também moradora do local. A polícia suspeita que as duas tenham se desentendido durante o consumo de crack. A vítima, identificada apenas como “Kelly”, morreu ainda no local.

Alguns "moradores" do antigo prédio da prefeitura: pão, pastel e crack

Alguns “moradores” do antigo prédio da prefeitura: pão, pastel e crack. Fotos: Anderson Calandrini

Em março deste ano, o lugar foi tema de uma reportagem do site SelesNafes.Com, escrita pelo repórter Anderson Calandrini. A matéria mostrou a rotina dos moradores. Entre os personagens havia uma mulher de 40 anos.

Ela relatou na época que havia fugido da casa dos pais no estado do Maranhão havia mais de 20 anos, e que há 15 anos perambulava pelas ruas de Santana até encontrar o prédio abandonado.  A polícia não informou se ela está envolvida no crime ou se é a vítima, já que até agora ninguém foi preso.

Mesa de refeições e preparo dos cachimbos

Mesa de refeições e preparo dos cachimbos

A reportagem mostrou ainda a mesa onde os usuários fazem as refeições (pão e pastel) e preparam os cachimbos. A prefeitura informou que só no início do ano recebeu oficialmente o prédio do governo do Estado.

A revitalização do prédio está marcada para o fim do ano. A PMS só não soube informar porque não coloca um vigilante para impedir que o lugar seja habitado pelos usuários de drogas.

Provedor

Ainda em Santana, no Bairro Provedor , um homem de 30 anos foi brutalmente assassinado a golpes de faca e terçado por pelo menos 10 homens que invadiram a casa dele.

De acordo com a polícia, Elivan Rocha bebia com amigos na frente da casa dele desde cedo. À noite, depois que os companheiros foram embora, Elivan entrou, mas logo em seguida foi surpreendido pelo grupo que invadiu a residência e o atacou ainda na cozinha.

Até agora ninguém foi preso.  A polícia apura se entre os agressores estavam pessoas que bebiam com a vítima horas antes.

Compartilhamentos