Compartilhamentos

A polícia ainda não conseguiu prender Josiel Alves de Moraes, mais conhecido como “Júnior”, um dos acusados de matar o taxista Raimundo Wilson Brito, de 58 anos, na semana passada em um ramal na BR 156. Outro acusado, Abraão Hebert Silva de Souza, está preso no Iapen. O crime causou comoção entre os taxistas que procuraram o colega por cinco dias.

Júnior continua foragido, mas a polícia promete prendê-lo em breve

Júnior continua foragido, mas a polícia promete prendê-lo em breve

De acordo com informações da Delegacia de Polícia da Capital (DPC), os acusados pegaram um táxi no Pesque-Pague com destino ao Bairro Marabaixo. Lá, pediram ao motorista para ir até o município de Porto Grande. Mas o taxista se negou a fazer a viagem, e passou a corrida para o seu Wilson, que aceitou porque ganharia um dinheiro extra no fim da jornada de trabalho. Chegando ao KM-77 os bandidos anunciaram o assalto.

“O taxista reagiu e acabou sendo morto pelos bandidos. O objetivo era clonar a placa do carro para o Júnior realizar o transporte clandestino de passageiros no distrito de Lourenço”, explicou à época o delegado Sidney Leite. O carro da vítima foi encontrado na região do Lourenço, na quarta-feira, 8.

“Já realizamos buscas em Macapá e Calçoene, mas ele ainda esta foragido. Temos muitas informações, mas preferimos guardar os detalhes da investigação. O que podemos adiantar é que esse acusado não ficará impune pela vida do seu Wilson”, frisou o delegado Alan Moutinho, titular da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (Decipe). 

 

Compartilhamentos