Compartilhamentos

O Governo do Estado confirmou o pagamento do funcionalismo público para a próxima sexta-feira, 31. Os salários estarão nas contas pela manhã, segundo informou a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

De acordo com a Sefaz, desta vez não foi possível a antecipar o pagamento porque o Estado foi obrigado a devolver pelo menos R$ 15 milhões ao governo federal.

A Sefaz disse que boa parte desses recursos era de um convênio cancelado pelo governo passado para a construção do trecho norte da BR-156. O convênio foi cancelado, mas o dinheiro da BR teria sido utilizado em outras despesas. Agora em julho, o Estado foi obrigado a devolver mais de R$ 5,3 milhões.

Outros R$ 9,7 milhões foram bloqueados pela Justiça no fim do ano passado porque o governo não fez o repasse aos outros Poderes. As devoluções comprometeram o fluxo de caixa do Executivo no mês de julho.

“Nós tínhamos um planejamento para as datas do pagamento da folha, mas estas devoluções comprometeram o controle das contas públicas. Vale ressaltar que outras devoluções ainda irão ocorrer durante este exercício”, esclareceu o secretário de Fazenda Josenildo Abrantes.

A Secretaria de Fazenda informou que o governo vai continuar trabalhando para antecipar os pagamentos. Ele acredita que o pagamento no último dia do mês não causa prejuízos à economia, já que o Estado recebeu em 30 dias uma injeção de R$ 126,7 milhões.

“Pagamos as férias e regência de classe reajustada a professores. Ainda em julho garantimos os 50% do 13º salário, pagamos atrasados de merendeiras, entre outros benefícios que não eram pagos com antecedência há anos”.

Compartilhamentos