Compartilhamentos

Uma operação da Polícia Civil do Amapá e do Pará, com apoio da Polícia Rodoviária Federal, culminou na prisão do principal suspeito de ter matado o taxista Wilson Brito, de 58 anos. Josiel Alves de Moraes, o “Júnior”, de 23 anos, foi preso em Santarém na noite de quinta-feira, 16, quando tentava fugir para Cuiabá (MT).

Desde que fugiu do Amapá, no último fim de semana, a Polícia Civil vinha monitorando seu deslocamento. “Primeiro ele foi para Altamira, e ficamos monitorando. Depois foi para Santarém e já estava indo para Cuiabá. Quando tivemos essa informação nós enviamos um delegado e um agente que montaram a operação com apoio dos delegados de lá e da Polícia Rodoviária Federal do Pará”, explicou o secretário de Segurança Pública do Amapá, Gastão Calandrini.

Júnior estava fugindo para Cuiabá. Fotos: Sejusp

Júnior estava fugindo para Cuiabá. Fotos: Sejusp

Segundo a polícia, foi Júnior quem desferiu os cinco golpes de faca que mataram o taxista durante um assalto no KM-77 da BR-210 antes do município de Porto Grande, no último dia 4. O corpo só foi encontrado no dia 8. O carro dele foi localizado no Distrito do Lourenço, já no município de Calçoene.

Operação foi montada pelas polícias do Amapá e do Pará

Operação foi montada pelas polícias do Amapá e do Pará

Júnior, de acordo com a polícia, queria clonar a placa do carro de Brito para fazer o transporte clandestino de passageiros. O comparsa dele, Abraão Herbet da Silva Souza, foi o primeiro a ser preso e disse ter sido contratado por R$ 1 mil para ajudar no assalto.

Júnior foi preso por volta das 20 horas na BR-163 e pode ser recambiado ainda hoje para Macapá. Há uma preocupação com possíveis reações violentas de taxistas, por isso haverá uma escolta reforçada para ele.

Compartilhamentos