Compartilhamentos

Policiais rodoviários federais tiveram bastante trabalho no domingo, 26, para conter um motociclista que havia acabado de ser parado por dirigir perigosamente. Ao ser informado que teria que passar pelo bafômetro, ele tentou resistir e precisou ser contido com uma arma de choque. 

A abordagem ocorreu no fim da tarde, no KM-02 da BR-210, próximo do Bairro Boné Azul, Zona Norte de Macapá. Os agentes perceberam um motociclista dirigindo de forma estranha e perigosa, e decidiram interceptá-lo. O condutor só obedeceu ao segundo comando para estacionar.

Na camisa de Sandro os dois dardos disparados pela arma de choque

Na camisa de Sandro os dois dardos disparados pela arma de choque. Foto: PRF

Quando desceu da moto, cambaleante, Sandro Gilberes Cordeiro Pereira, de 39 anos, de acordo com os policiais, já apresentou sinais de embriaguez. A equipe informou que ele precisaria ser encaminhado ao posto da PRF onde seria submetido ao bafômetro. Foi aí que os problemas começaram. Sandro ficou alterado, e tentou reagir.

“Devido ao porte físico do condutor e seu descontrole, foi utilizado o dispositivo DCE (arma de choque) para a contenção da agressão”, diz o boletim da PRF. Imobilizado pelo choque, Sandro foi algemado e levado para o posto.

A tolerância é zero para álcool e direção, mas resultados do etilômetro acima de 0,34 mg já são considerados embriaguez. Sandro apresentou 0,70 mg.

Ele foi preso e levo para o Ciosp do Pacoval, enquadrado em quatro crimes: direção perigosa, embriaguez ao volante, resistência à prisão, e desacato. Esta não foi a primeira vez que policiais rodoviários federais tiveram que usar a arma de choque. “Já usamos em outras três situações”, informou o superintendente da PRF, Aldo Balieiro. 

Compartilhamentos