Compartilhamentos

Jair Zemberg –

Os moradores do conjunto Macapaba, na Zona Norte de Macapá, vivem um dilema. Ao mesmo tempo em que não aguentam mais a criminalidade, eles tem medo de denunciar os bandidos, apesar de terem dentro do bairro uma Unidade de Policiamento Comunitário (UPC). Na noite de quinta-feira, 2, mais uma vez o temor falou mais alto depois de um arrastão em uma parada de ônibus.

Eram mais de 21 horas, e um grupo de moradores aguardava a chegada do ônibus quando surgiram quatro homens armados com facas. Eles chegaram caminhando, e ameaçaram os moradores exigindo bolsas, celulares, e outros pertences.

Policiais revistam suspeitos que foram reconhecidos, mas liberados. Fotos: Jair Zemberg

Policiais revistam suspeitos que foram reconhecidos, mas liberados. Fotos: Jair Zemberg

Os moradores, indefesos, entregaram tudo. Os bandidos fugiram a pé para a parada mais próxima onde apanharam um ônibus. As vítimas viram quando eles subiram no coletivo e avisaram a polícia que rapidamente interceptou o veículo.

Os suspeitos foram obrigados a descer do coletivo. Os policiais até encontraram os objetos roubados, mas ainda precisavam da confirmação final das vítimas.

Uma viatura voltou ao Macapaba para apanhar algumas. De dentro da viatura, com os vidros levantados, os moradores reconheceram os assaltantes, mas se negaram a ir até o Ciosp do Pacoval registrar queixa. Os criminosos acabaram sendo liberados.

“É sempre assim, eles tem medo”, disse um sargento do 2º BPM que atendeu a ocorrência. O medo tem um fundamento. Os bandidos são todos moradores do Macapaba, e as vítimas sabem que se fossem presos, logo estariam soltos de novo.

Compartilhamentos