Compartilhamentos

Humberto Baía –

Depois de três dias parados, professores do município de Oiapoque realizaram uma passeata nesta sexta-feira, 14, para chamar atenção para as suas reivindicações. A principal delas é o reajuste salarial de 13%. Devido a paralisação, o retorno às aulas no segundo semestre está comprometido. A prefeitura já anunciou que só pode dar 10% de reajuste.

Na segunda-feira, 17, haverá uma reunião da comissão de professores e a Secretaria Municipal de Educação. Os educadores afirmaram que vão entrar em greve por tempo indeterminado se o município não der os 13%. Hoje o município de Oiapoque tem cerca de 300 professores.

 

Os professores prometem paralisar por tempo indeterminado

Os professores prometem paralisar por tempo indeterminado. Fotos: Olavo Batista

O secretário municipal de Educação, Chistiandeson Kauê, justifica que hoje a prefeitura está usando quase 100% dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) com a folha de pagamento, e não está sobrando nada para investimento. “Estamos usando recursos próprios para reformar a escola Criança Feliz, no Bairro Nova Esperança. Também estamos licitando a construção de duas creches e uma escola”, comentou Kauê.

O secretário Kauê diz que a prefeitura está usando 100% do Fundeb com salários

O secretário Chistiandeson Kauê diz que a prefeitura está usando 100% do Fundeb com salários de professores

De outro lado, os professores dizem que não houve investimento na educação municipal, e que nem merenda tem nas escolas. O secretário rebate, afirmando que está há três meses no cargo, por onde já passaram cinco pessoas. Mesmo com pouco tempo de trabalho, Kauê disse que já conseguiu avançar em alguns pontos. E a merenda escolar é um desses pontos. “Temos merenda garantida para todas as escolas, inclusive, da zona rural”, afirmou.

Dependendo do resultado da reunião de segunda-feira, os professores podem voltar ao trabalho ou deflagrar greve por tempo indeterminado.

Compartilhamentos