Compartilhamentos

O amor de um pai nunca tem limites. Um exemplo disso é a relação entre o engenheiro Rodrigo Rocha, de 36 anos, e seu filho Gabriel Rocha, de 13 anos. Nascido em Barra do Piraí, no sul do Estado do Rio de Janeiro, o menino foi diagnosticado, ainda bebê, com paralisia cerebral. Então, o pai encontrou no esporte forças para vencer preconceitos e alegrar o filho. Os dois foram recepcionados pelo prefeito de Macapá e visitam a capital para participar da II Corrida da OAB no próximo domingo, 16.

Os dois vieram à Macapá através de um convite do preparador físico Leno de Lima, que conheceu Rodrigo na Maratona do Rio de Janeiro, em maio deste ano. Na oportunidade, eles perceberam que o esporte também poderia ser uma forma de inclusão e incentivo para pessoas com deficiência no Amapá.

Gabrile com a família em visita a Macapá. Fotos: Cassia Lima

Gabrile com a família em visita a Macapá. Fotos: Cassia Lima

“Eu me comovi com a história de vida deles, e a ligação que eles têm. A ideia é mostrar, através da história deles, que não existem dificuldades para ser esportista. Todas as pessoas com deficiência, ou não, podem participar. O importante é você querer e ter apoio”, frisou Leno de Lima.

Gabriel, chamado mais de Biel, já participou de 17 corridas com a ajuda do pai e do triciclo adaptado. No próximo domingo, os dois percorrerão cinco quilômetros, no Centro de Macapá. Tudo isso faz parte da campanha “Levanta e Vem Treinar com o Biel”.

“Já fizemos o reconhecimento do percurso, e hoje vamos fazer o primeiro treino nas ruas de Macapá. Sabemos que a pavimentação não é boa, mas a ideia é essa, vencer as barreiras. A receptividade está ótima, e esperamos terminar a prova com toda essa energia que o público nos passa. Minha determinação é vê-lo feliz”, comentou o pai do pequeno Biel.

A paralisia de Gabriel não atingiu a parte cognitiva do cérebro, que assiste filmes, navega pela internet, e acessa as redes sociais. Ele compreende todos os acontecimentos ao redor, e consegue emitir apenas uma palavra: vô. A vinda do menino teve ajuda da prefeitura de Macapá.

Rodrigo e Gabriel visitam o prefeito de Macapá, Clecio Luís

Rodrigo e Gabriel visitam o prefeito de Macapá, Clecio Luís

“A história do Biel faz a gente refletir sobre a nossa realidade e a nossa condição. Sabemos que Macapá não é uma cidade inclusiva, mas cada vez que for possível, vamos dar passos largos nesse projeto de cidade acessível. Vamos incentivar mais pessoas com deficiência a se apropriar da cidade”, destacou o prefeito Clécio Luís Vilhena.

Pai e filho ficam em Macapá até domingo. A família já planeja o próximo desafio: completar os 515 quilômetros do campeonato Sul Americano de Triathlon de Ultra Distância (UB515), que ocorrerá em abril de 2016. Os dois buscam agora, ajuda no custeio dos equipamentos corretos para completar todo o percurso.

“Quero mostrar a outros pais de deficientes, e também aos não deficientes, que existe a possibilidade fazer a inclusão. Lute mais pelo seu filho e pelo futuro que ele terá. Não esconda seu filho em casa. Saia e mostre a ele a realidade do mundo. Quem sabe você não pode ampliar mais os horizontes dele, basta tentar e ter força”, finalizou Rodrigo.

Foto de capa: arquivo pessoal

Compartilhamentos