Compartilhamentos

A 1ª Vara do Tribunal do Júri de Macapá iniciou na manhã desta segunda-feira, 17, o julgamento do réu Alex Sandro dos Santos. Ele é acusado de matar com 17 facadas Alam Maurício das Mêrces, de 30 anos. Este é o segundo julgamento do caso. No primeiro o réu foi absolvido, mas a defesa recorreu e anulou a sentença.

O crime ocorreu no dia 18 de abril de 2009, na casa da vítima em Caiena, na Guiana Francesa. Um primo da vítima, que presenciou o assassinato, teria mentido ao júri no primeiro julgamento depois de ter sofrido ameaças do réu. Na época, isso levou a absolvição de Alex Sandro.

Assistente de acusação, advogado Maurício Pereira

Assistente de acusação, advogado Maurício Pereira. Fotos: Cassia Lima

“Três testemunhas sendo, uma delas primo da vítima, mentiram para proteger o acusado. Dada a aberração da mentira, a defesa recorreu e conseguiu a anulação do julgamento. Mesmo sem essas três testemunhas, temos a comprovação de que o réu matou a vítima por motivo torpe”, destacou o assistente de acusação, advogado Maurício Pereira.

O réu e a vítima eram vizinhos em Caiena, e teriam se desentendido. Alex Sandro estava usando energia da casa de Alam sem autorização. Isso acabou gerando uma briga entre os dois. Segundo investigações do Ministério Público, um começou a ameaçar o outro, até que Alam entregou o Alex Sandro para um policial da fronteira que o deportou para Oiapoque. Quando ele voltou para Caiena caçou Alam até matá-lo.

Ana das Mercês, mãe da vítima: queremos justiça

Ana das Mercês, mãe da vítima: queremos justiça

“Tudo que queremos é justiça. Meu filho deixou três filhos e a mulher. Já se passaram seis anos e não descansamos. Nossa dor se arrasta e a verdade é lenta. Queremos um julgamento justo para que meu filho possa descansar em paz”, comentou a mãe da vítima, Ana Célia Mauricio das Mercês.

Compartilhamentos