Compartilhamentos

O drama da família do bebê Henrique Katriel, que completa 14 dias de vida, vai se prolongando. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) diz que precisa conseguir um novo hospital para o recém-nascido ser interno. 

Ele viajaria para Recife na quinta-feira, 27, mas o leito foi logo ocupado no hospital pernambucano. A criança necessita com urgência de uma cirurgia no coração e tratamento contra cardiopatia.O bebê nasceu dia 15 de agosto e foi diagnosticado com cardiopatia congênita complexa. Segundo os especialistas, a criança precisa ser levada com urgência para uma UTI neonatal para cirurgia e tratamento.

“Estávamos com a esperança que tudo ficaria certo na semana passada, mas fomos informados que o leito disponível já havia sido ocupado por uma criança que tinha mais urgência. Meu filho está bem, mas temos pressa na solução”, disse o pai do menino, Jhon Souto.

Teles Júnior, secretário adjunto da Sesa: estamos fazendo todos os esforços

Teles Júnior, secretário adjunto da Sesa: estamos fazendo todos os esforços

Segundo a Sesa, o bebê foi incluído na Central Nacional de Regulação em Alta Complexidade (CNRAC), que é um banco de dados nacional que indica a disponibilidade de leitos no Brasil. Hoje 93% dos hospitais do país não possuem UTI Neonatal, apenas sete capitais têm.

“Nós já contatamos todas as UTI’s públicas e privadas do país, mas a demanda é enorme e não há vagas. A Sesa já realizou o translado de 15 crianças na mesma situação este ano. Mas com o pequeno Henrique estamos com um pouco mais de dificuldade. A família pode ficar ciente de que estamos fazendo todos os esforços e usando todos os meios para que esse bebê seja levado a um hospital especializado”, explicou o secretário adjunto da Sesa, Antônio Teles.

Quando houver vaga disponível, disse o secretário, o deslocamento será custeado pelo governo do Estado, bem como auxílio financeiro através do Programa de Tratamento Fora de Domicílio (PTFD). O site não conseguiu falar com os pais da criança.

 

Compartilhamentos