Compartilhamentos

Uma  arma de fogo, 132 papelotes de droga, 25 celulares, estoques e 60 litros de cachaça artesanal. Esse foi o resultado de uma vistoria realizada nesta quinta-feira, 13, em vários pavilhões do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen). O trabalho foi feito pelos agentes do Grupo Tático Prisional (GTP), com apoio do Bope.

A vistoria foi autorizada pela direção do Iapen depois de uma investigação feita pelo serviço de inteligência do órgão. Os internos responsáveis pelo material apreendido responderão conforme a Lei de Execuções Penais (LEP). Um procedimento para apurar a entrada do material apreendido também será aberto.

60 litros de cachaça artesanal foram encontrados no pavilhão F3

60 litros de cachaça artesanal foram encontrados no pavilhão F3. Fotos: Sejusp

O trabalho de investigação começou logo depois que um interno atirou em outro, e acabou sendo assassinado a estocadas, no fim de semana passado. A maioria dos materiais estava no pavilhão F3, onde ficam presos condenados.

De acordo com diretor do Iapen, Jeffeson Dias, a ação está dentro das metas de mudar a realidade do sistema carcerário do Estado e garantir a segurança dos internos.

“Por isso, solicitamos a colaboração dos órgãos de segurança do Estado. A revista é uma atividade necessária para evitar a permanência de materiais de forma ilícita na unidade prisional e o resultado foi positivo”, avaliou o diretor.

Compartilhamentos