Compartilhamentos

Humberto Baía –

A Polícia Civil de Oiapoque prendeu todos os suspeitos da morte do comerciante José Gleydson Leal, de 53 anos, assassinado em uma cilada neste domingo, 2. Entre os acusados está uma adolescente grávida de 17 anos, que apesar da idade já é uma velha conhecida da polícia por crimes como roubo e lesão corporal.

De acordo com as investigações, ela agiu com outros 3 rapazes para atrair a vítima a uma armadilha. O crime ocorreu durante a madrugada. A vítima teria dado carona para a jovem na BR-156, no trecho que passa pelo Bairro Infraero.

A menor teria pedido para conhecer a casa da vítima. Depois disso, ela chamou os comparsas para entrarem no imóvel com ajuda dela. Eles imobilizaram a vítima e desferiram 60 facadas no comerciante.

O grupo fugiu do local levando celulares. A vítima vendia telefones e outras mercadorias em áreas de garimpo.

Em seguida, os criminosos, incluindo a menor, foram até uma festa para tentar vender um dos celulares roubados. A Polícia Militar já estava fazendo diligências nesse momento e conversou com alguns taxistas que informaram sobre a tentativa do grupo em comercializar o celular.  

Os policiais avistaram o grupo e deram voz de prisão. Dois foram presos na hora. Outros dois correram para um matagal onde foram encurralados.

Jhonatan Nonato Bezerra, de 19 anos, José Walter Pires, “o Preto”, de 18 anos, além da garota e outro garoto de 17 anos, foram levados para o Ciosp do Oiapoque. O garoto de 17 anos é considerado o mais perigoso de todos.

A garota está grávida, e manteve relações sexuais com o comerciante, segundo a polícia, que ainda investiga porque o grupo desferiu 60 golpes na vítima.  

Compartilhamentos