Compartilhamentos

O Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Estado do Amapá (Imap), com apoio do Batalhão Ambiental, está coordenando uma força tarefa para evitar invasões e danos ambientais em áreas de preservação no Bairro Marabaixo, Zona Oeste de Macapá, como a que ocorreu na semana passada. Os órgãos estão monitorando grupos que se organizam para realizar as invasões.

Desde o início do ano, a ocupação ilegal aumentou nessa região, acarretando danos ambientais irreversíveis. As invasões na Zona Oeste da capital acontecem desde o final dos anos 90, segundo registros do Imap. Com os órgãos integrados, a intenção é coibir essa prática ilegal, levando em consideração que há uma forte especulação imobiliária na área.

As invasões no Marabaixo acontecem desde o final dos anos 1990

As invasões no Marabaixo acontecem desde o final dos anos 1990

“Certos grupos, que estão sendo monitorados, insistem em invadir, porém estamos agindo semanalmente nos pontos mais procurados”, afirma o gerente de Meio Ambiente do Imap, Alessandro Tavares.

Nos últimos relatórios de fiscalização do instituto foi verificado principalmente se essas ocupações ilegais estão dentro das Áreas de Proteção Permanente (APP). A equipe também verifica se há o cumprimento do novo Código Florestal, que estipula a proximidade de 30 metros de lagoas em áreas urbanas, além da preservação do local.

Um ponto de invasão foi localizado dentro da Lagoa dos Índios, que consiste em 13 palafitas construídas, acessadas por ponte e mais 22 casas acessadas por rua, parte dela asfaltada, mas que tem seus quintais inundados pelas águas da lagoa.

Compartilhamentos