Compartilhamentos

Mais de mil famílias beneficiadas pelo Renda Para Viver Melhor em Macapá começam a receber visitas das assistentes sociais da Secretaria de Estado da Inclusão e Mobilização Social (Sims), que é responsável pelo programa. As visitas são necessárias para atualizar os cadastros dessas famílias. No município de Oiapoque, por exemplo, mais de 400 famílias foram visitadas e 30% deixaram o programa porque já não se encaixavam mais nos perfis exigidos.

A atualização cadastral em Oiapoque aconteceu no mês julho passado e foram visitadas 473 famílias, incluindo a área rural, indígena e Distrito de Lourenço. Durante as visitas, as assistentes identificaram que 30% das famílias visitadas não se encaixavam mais no programa.

Em alguns casos, as famílias mudaram de endereço e moram em outro Estado, os filhos não estão matriculados nas escolas, a renda per capita é superior ao determinado pelo programa, ou o filho tem mais de 15 anos – idade máxima permitida.

Segundo a Sims, a atualização cadastral das famílias começou pelos bairros Perpétuo Socorro e Cidade Nova. A medida é uma das exigências do programa para acompanhar o avanço dos beneficiários após a inclusão no programa de dois em dois anos. Até o fim de setembro os técnicos deverão visitar 1.020 famílias.

No momento da visita, os técnicos fazem uma avaliação socioeconômica para identificar o que mudou na vida do cidadão e se a bolsa é utilizada para os fins do programa, que é assegurar a permanência da criança na escola e a alimentação adequada.

Outro objetivo é identificar se as famílias ainda estão dentro dos critérios estabelecidos pelo programa, como permanência na escola, faixa etária de até 15 anos e situação de desproteção social. Os beneficiários que não estiverem dentro dos critérios deixarão o programa.

 

Compartilhamentos