Compartilhamentos

As eleições para conselheiro tutelar de Macapá estão comprometidas, segundo o presidente da Comissão Eleitoral, Nildo Moreira. De acordo com ele, “o processo está sendo levado nas coxas”, já que não estão tendo apoio da prefeitura na condução do pleito.

Nildo Moreira enfatizou que a eleição para conselheiro tutelar precisa de uma logística especial, que não vem sendo dada pela prefeitura. Ele cita como exemplo, que precisa encaminhar para o TRE papel e tinta (toner) para que o tribunal possa rodar a lista de eleitores aptos a votar em Macapá.

“O TRE nos deu um prazo, que já expirou, e não conseguimos atender o pedido. Sem essa listagem não é possível saber quem pode votar”.

Nildo Souza: o objetivo é mostrar qual o papel do conselheiro tutelar

Nildo Moreira: sem apoio é impossível realizar a eleição

Além disso, a comissão não tem telefone e nem carro para trabalhar. “Usamos nossos próprios telefones. Colocamos uma recarga de R$ 20 que só dura dois dias. Quanto ao transporte, estamos usando carros próprios e que não tem carro anda de ônibus. Assim é impossível realizar uma eleição tão importante para a cidade”, argumentou o presidente, ressaltando que vai esperar um retorno da PMM por mais uma semana, se nada acontecer a eleição será cancelada.

A Comissão Eleitoral já comunicou o problema ao Ministério Público. “Para fazer uma eleição como essa, é preciso pelo menos seis meses de muito trabalho. Agora, estão faltando dois meses para o pleito e não temos confirmação de apoio”, afirmou Nildo.

“No dia da eleição vamos precisar de transporte, alimentação e apoio logístico para o pessoal do TRE. Até agora não temos nada disso confirmado”, finalizou.

A secretária de Assistência Social de Macapá, Sandra Smith, que está de licença médica, disse que a Semast tem dado todo apoio ao Conselho para a realização das eleições. Segundo ela, a prefeitura não tem condições de atender a exageros, mas na medida do possível, tem trabalhado para contribuir com o processo eleitoral.

Compartilhamentos