Compartilhamentos

Um incêndio causou pânico no município de Laranjal do Jari (280 quilômetros de Macapá) na noite de sábado, 22. O fogo atingiu estabelecimentos comerciais e residências no Bairro Central, num local onde os imóveis são muito próximos um dos outros.

O fogo começou por volta das 22 horas. As labaredas podiam ser vistas de vários pontos da cidade. O Corpo de Bombeiros levou toda a estrutura que tem no município, um caminhão de combate, um carro de salvamento, uma ambulância e um caminhão pipa cedido pela  Prefeitura de Laranjal do Jari que sempre dá apoio.

Três residências e três estabelecimentos comerciais foram atingidos.  O fogo consumiu totalmente duas casas. Um estabelecimento comercial que estava disponível para locação também foi consumido pelas chamas. O restante dos imóveis teve perda parcial.

Curto-circuito e vazamento de gás são as principais possibilidade de origem do incêndio

Curto-circuito e vazamento de gás são as principais possibilidade de origem do incêndio. Fotos enviadas por moradores

Vizinhos entraram em pânico por causa da proximidade com os imóveis que pegavam fogo, mas depois de 1 hora de combate os bombeiros conseguiram evitar que o incêndio se espalhasse.

No total, quatro famílias ficaram desalojadas (2 moravam no mesmo imóvel de 2 pavimentos). Uma equipe da Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (Sims) foi até a cidade para cadastrar as famílias desalojadas. Muitas pessoas perderam documentos.  

“Foi preocupante por se tratar de Laranjal do Jari, onde existe essa característica das casas serem muito próximas umas das outras”, explicou o subcomandante do Corpo de Bombeiros do Amapá, coronel Wagner Coelho, que foi até o local acompanhar os trabalhos dos bombeiros e assistência às vítimas.

Uma perícia do Corpo de Bombeiros irá determinar a causa do incêndio. Há duas possibilidades: curto circuito ou vazamento de gás.

A história de Laranjal do Jari é repleta de incêndios devastadores. Alguns chegaram a consumir quase que bairros inteiros da cidade. A área comercial chegou a ser destruída completamente no fim dos anos 90. O susto dos moradores não foi à toa.

Compartilhamentos