Compartilhamentos

A Comissão de Direitos do Consumidor da Assembleia Legislativa convocou representantes da Unimed para prestar esclarecimentos nesta quarta-feira, 05, sobre os transtornos que os usuários da rede vêm sofrendo para serem atendidos. Mas para a surpresa da comissão, ninguém apareceu à reunião sem dar qualquer satisfação. Agora, os deputados vão à Unimed tentar falar com a direção da cooperativa.

De acordo com a comissão, a Unimed Macapá está sendo gerida pela Federação das Unimeds da Amazônia (FAMA) desde maio. A partir de então, os usuários passaram a ter mais problemas, sendo o mais grave a falta de médicos. O guia médico da Unimed chegou a contar com 40 folhas contendo endereços e nomes de cooperados, e agora resume-se a apenas uma página.

Deputado Pedro da Lua exige esclarecimentos da Unimed

Deputado Pedro da Lua exige esclarecimentos da Unimed

A Federação das Unimeds da Amazônia surgiu com a fusão, em 2003, da  Federação das Unimeds da Amazônia Ocidental (Famoc) e da  Federação das Unimeds  da Amazônia Oriental (Famor), com o objetivo de construir uma instituição que representasse as Unimeds da região Norte do País.

“Nós convocamos tanto os representantes da Fama quanto da Unimed Macapá para prestarem esclarecimentos dos termos desse contrato de compra da Unimed local, e para falar das dificuldades que os usuários estão encontrando para fazer a portabilidade. Como eles não vieram, a comissão vai até eles na segunda-feira, 10, às 15 horas, para cobrar os esclarecimentos”, disse o deputado Pedro da Lua, presidente da comissão.

O parlamentar conta que uma das denúncias que está sendo apurada pela comissão diz respeito às clínicas e laboratórios credenciados pela cooperativa que não recebem há meses. Edgar Luis, otorrinolaringologista, é credenciado à Unimed, e diz que desde janeiro não recebe seus honorários.

“Existem outros colegas na mesma situação. Estou disposto a negociar, mas toda vez que procuro a cooperativa não consigo falar com ninguém ”, afirmou o médico.

Compartilhamentos