Compartilhamentos

Moradores do Bairro Brasil Novo, na Zona Norte de Macapá, ainda não sabem quando terão uma unidade básica de saúde em boas condições de atendimento. O lugar não passa por reforma há muito tempo, e a obra de ampliação está paralisada há quase dois anos. A situação foi denunciada esta semana na Câmara Municipal de Macapá pelo veredor Alciney Maciel (PTB).

A unidade funciona com atendimentos de rotina. Abre às 7h30min para marcação de consultas e fecha às 17 horas. No período da tarde, dois médicos fazem o atendimento num prédio precário.

Construção de dois consultórios e uma sala odontológica parou

Construção de dois consultórios e uma sala odontológica parou. Fotos: Ascom

“As paredes tem muitos fungos por causa das infiltrações. Tem muita goteira e o forro está caindo”, relata o morador Edinelson Cavalcante Isackson.

Há dois anos a unidade tinha uma van com um consultório odontológico completo, mas o Ministério Público ingressou com uma ação alegando que o atendimento no veículo era inadequado. A Justiça mandou desativar o serviço e determinou que a prefeitura construísse um consultório odontológico.

As obras começaram em outubro de 2013. Seriam construídos dois consultórios médicos e uma sala odontológica. As obras terminariam em dezembro do mesmo ano, mas pararam antes do prazo e nunca mais foram retomadas.

Vereador Alciney pediu explicações sobre o abandono da obra durante sessão

Vereador Alciney pediu explicações sobre o abandono da obra durante sessão

“A população do Brasil Novo merece uma resposta. O Brasil Novo é muito grande e essa unidade ainda precisa atender moradores de outros bairros da Zona Norte”, cobrou o vereador Alciney em sessão na Câmara de Vereadores, referindo-se aos bairros Macapaba, Liberdade, Palmares, Jardim Caanã e Açaí.

Outra reivindicação dos moradores é que a UBS do Brasil Novo tenha o horário de atendimento ampliado.

“Além da reforma e conclusão da ampliação, precisamos ter atendimento à noite. Quando alguém precisa de médico precisa se desloca para a UPA do Novo Horizonte ou para a UBS Marcelo Cândia”, queixa Edinelson Isackson.

Compartilhamentos