Compartilhamentos

A Polícia Civil e o Bope prenderam no domingo, 6, parte de uma quadrilha que vinha realizando uma série de roubos no interior do Estado. A quadrilha era formada por seis pessoas, sendo cinco homens e uma mulher, que segundo a polícia, era a líder do grupo. Ele foi identificada como Auriane Barreto Fernandes, 28 anos, presa em Macapá junto com outro membro da quadrilha. Mais dois foram presos em Ferreira Gomes, e dois estão foragidos.

De acordo com o delegado Uberlândio Gomes, do Departamento de Polícia do Interior (DPI), a quadrilha já vinha sendo monitorada pelo serviço de inteligência da Secretaria de Segurança Pública (Sejusp) e pelo próprio DPI. Segundo o delegado, o último assalto praticado pela quadrilha aconteceu no sábado à noite a caminhão de uma empresa de bebida que vinha de Oiapoque, e foi interceptado às proximidades do Distrito de Carnot, município de Calçoene. Eles levaram cerca de R$ 10 mil.

“Devido ao trabalho de inteligência que estávamos fazendo, sabíamos que esse caminhão que vinha de Oiapoque com dinheiro no cofre seria assaltado. Então, solicitamos à Polícia Rodoviária Federal (PRF) que interceptasse o veículo e comunicasse ao motorista que era uma potencial vítima da quadrilha. Mas parece que ele não acreditou e seguiu viagem. O motorista e o ajudante foram amarrados e trancados no caminhão e o dinheiro foi levado”.

O serviço de inteligência já tinha o paradeiro de quatro membros da quadrilha no domingo, quando aconteceu a operação, com apoio do Bope, que resultou na prisão de Manoel Rozildo Vilhena Gadelha, 43 anos; José Maria Ribeiro, 54 anos; José Luiz Costa da Silva, 33 anos; e Auriane Barreto Fernandes, 28 anos, que comandava a quadrilha. Não houve resistência na hora das prisões.

Com os presos a polícia encontrou armas, munição, celulares e dinheiro, cuja quantia não divulgada. De acordo com o delegado Uberlândio, os dois foragidos já foram identificados e devem ser presos nas próximas horas. Ele está tomando depoimentos dos assaltantes, testemunhas e vítimas. Em seguida eles serão encaminhados para a penitenciária em Macapá.

Foto: Polícia Civil

 

Compartilhamentos