Compartilhamentos

Servidores do INSS em Macapá que estavam em greve há 50 dias, decidiram retornar ao trabalho esta semana. 15 funcionários tiveram seus salários referentes ao mês de agosto cortado. Agora, o sindicato da categoria luta na Justiça para que esses servidores recebam seus vencimentos.

A assembleia que decidiu pelo retorno ao trabalho foi realizada no dia 31 de agosto. Os funcionários dos postos de Santana e Laranjal do Jari já haviam retomado suas atividades no início do mês de agosto. Com isso o movimento ficou enfraquecido, e todos resolveram voltar ao trabalho.

Os servidores que estavam parados tiveram uma surpresa quando foram ao banco receber os salários e suas contas estavam zeradas.

Diretor do Sindsep

Diretor do Sindsep, Marcos Nunes: vamos à Justiça em busca dos salários dos servidores

“A União entende que a greve não é legal, então decidiu descontar os dias que esses servidores ficaram parados. O Supremo Tribunal Federal (STF) entende o contrário, e por isso vamos recorrer dessa decisão”, conta o diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sindsep),  Marcos Nunes.

O sindicalista comenta que não foram apenas os funcionários do posto de Macapá que tiveram seus pontos cortados, servidores de outros estados estão com o mesmo problema.

Os trabalhadores reivindicam reposição salarial de 27,3%, incorporação das gratificações no salário que chegam a 80% dos vencimentos, redução de jornada de trabalho de 40 para 30 horas, além de melhorias estruturais e de equipamentos nas agências do INSS.

O governo oferece aumento de 21,3% em quatro anos. Os trabalhadores rejeitam a proposta e a greve em outros estados continua. Agora, são os peritos que anunciam que sexta-feira, 5, estarão paralisando as atividades.

Compartilhamentos