Compartilhamentos

O comércio de Macapá vive as amargas consequências da crise econômica que está instalada no país. O caso do comerciante Gileno Ramos, de 70 anos, que trabalha no ramo de confecções há mais de 15 anos, é um exemplo disso. Ele já fechou cinco das seis lojas que tinha, e se prepara para encerrar a última. De acordo com o IBGE, a queda no volume de vendas no comércio local é vertiginosa.

As pesquisas realizadas pelo IBGE registraram queda no volume de vendas em Macapá pela quinta vez consecutiva. Em julho, quando foi realizada a última pesquisa, os números apontaram redução de 4,9% nas vendas comerciais.

Comerciante há 15 anos, Gileno Ramos, vai fechar a última loja da família. Fotos: André Silva

Comerciante há 15 anos, Gileno Ramos, vai fechar a última loja da família. Fotos: André Silva

Outro setor que também vem sendo atingido no Amapá é o de serviços. Conforme apontaram as pesquisas do IBGE, o recrudescimento nesse setor, no mês de julho, registrou 17,9%, o pior resultado desse ano no Brasil. “Esse é o pior resultado desde 2012 , quando iniciamos essas pesquisas”, disse o supervisor de informações do IBGE no Amapá, Joel Lima.

“Nós tínhamos seis lojas de confecções e fechamos três no período de 2012 a 2013. No ano passado nós fechamos mais duas, e este ano estou fechando a última. 2015 tem sido o pior ano desde que comecei nesse ramo”, desabafa o comerciante Gileno Ramos.

O IBGE mostra através de pesquisas que a situação é caótica

O IBGE mostra através de pesquisas que a situação é caótica

A pesquisa

A pesquisa do IBGE é feita em 79 empresas do comércio varejista de Macapá e Santana. “Perguntamos aos empresários qual a receita bruta de revenda no período pesquisado, e com base nesses valores, nós calculamos os índices. A divulgação é mensal”, explicou Joel Lima.

Compartilhamentos