Compartilhamentos

Os três homens acusados de espancar uma mulher grávida em Cutias do Araguari, a 180 quilômetros de Macapá no último fim de semana, e ainda decepar uma das mãos dela, seguem internados no Hospital de Emergência de Macapá depois de terem sido agredidos por internos no Iapen. A Polícia Civil investiga a possibilidade de 24 internos terem participado da sessão de linchamento.

A situação mais delicada é a de Leoni Brito dos Reis, de 19 anos. Ele levou golpes de faca na cabeça. O pai dele, Manoel de 38 anos, e o tio, Francisco dos Reis, de 28 anos, tiveram escoriações pelo corpo, mas também estão internados sem previsão de alta. Eles ainda não foram ouvidos pela polícia.

No local onde o crime ocorreu. Cabelos da vítima cortados. Foto: PM

No local onde o crime ocorreu. Cabelos da vítima cortados. Foto: PM

A agressão ocorreu na sala de triagem na noite da última terça-feira 15, onde estavam 24 internos que aguardavam distribuição para celas.

“Inicialmente, o delegado que investiga o caso trabalha com a possibilidade de os 24 terem participado. Hoje o delegado esteve lá para identificar as pessoas que irão prestar os depoimentos”, informou o diretor do Iapen, Jeferson Dias.

Os três foram presos pela Polícia Militar de Cutias do Araguari acusados de espancar e mutilar no último domingo, 13, uma mulher de 30 anos que está grávida. Ela não perdeu o bebê e também está internada no HE.

Segundo a polícia, o trio ainda teria cortado os cabelos da vítima e decepado a mão esquerda dela. Os motivos ainda não foram esclarecidos.

Compartilhamentos