Compartilhamentos

Na tarde deste sábado, 19, uma prova prática de direção no município de Laranjal do Jari, no Sul do Amapá, a 265 quilômetros de Macapá, terminou em confusão, tiro e prisão do instrutor que foi ferido a bala. O coordenador do Detran no município, um oficial do Corpo de Bombeiros, foi quem atirou contra o instrutor.

De acordo com a PM, o subtenente bombeiro Itamar Andrade dos Santos, que coordenava as provas, recebeu denúncia de um candidato de que o instrutor Elicélio dos Santos Guedes, de 31 anos, estava cobrando propina de R$ 250 para aprovar no teste. A prova ocorria na Praça do Bairro do Agreste, e vários candidatos já haviam terminado o exame.

“Então o subtenente resolveu armar um flagrante. Pediu que um candidato tirasse a foto do dinheiro e o oficial ainda assinou em três notas. Aí ele pediu que o candidato fizesse o pagamento ao instrutor. Depois da prova ele seria abordado e se estivesse com o mesmo dinheiro ficaria provado o crime”, explicou o 1º tenente Josemar Pires, do 11º Batalhão da PM.

Depois do exame, o subtenente abordou o instrutor, encontrou o dinheiro com ele e deu voz de prisão. Elicélio teria reagido, houve bate-boca  e agressões. No meio da confusão, o subtenente disparou contra o instrutor que foi atingido na região das nádegas. Apesar de ferido, ele foi algemado e levado para o Hospital de Laranjal do Jari. O ferimento não foi grave.

No meio da confusão, algumas pessoas tentaram agredir o subtenente, que sacou a arma e conseguiu manter as pessoas afastadas. “Eram candidatos que já tinham sido beneficiados pelo instrutor. A PM já tinha recebido essa denúncia na semana passada, mas faltava o flagrante”, comentou Pires.

O subtenente entregou sua arma à guarnição da PM e foi levado para o quartel do Corpo de Bombeiros. Neste domingo, 20, ele deverá prestar depoimento na Delegacia de Polícia de Laranjal do Jari. Ele foi não foi preso.

Compartilhamentos