Compartilhamentos

Resgatar e preservar a memória do Estado é um dos principais objetivos do Instituto Memorial Amapá, que neste fim de semana tem uma programação exclusiva para evidenciar ainda mais o trabalho da entidade. O grupo é formado por membros de famílias que ajudaram a construir Macapá e já possui frutos do trabalho, um deles pode ser encontrado na Praça Zagury.

“Nosso objetivo é estimular os amapaenses a conhecerem a história da cidade, a preservação cultural e principalmente dos patrimônios. Hoje Macapá possui poucas construções do ex-território e os documentos históricos são de propriedades particulares. Queremos tornar isso público para todas as pessoas terem acesso”, enfatizou Walter Júnior, um dos fundadores do Memorial.

Pessoas que fazem parte do Memorial Amapá. Fotos: Memorial Amapá

Pessoas que fazem parte do Memorial Amapá. Fotos: Memorial Amapá

O Instituto foi criado em maio deste ano, e neste fim de semana realiza o Encontro Anual da Caravana da Memória. A programação inicia com missa na Matriz de São José e um abraço simbólico na igreja. Parentes de amapaenses que moram em outros Estados estão vindo à Macapá para receberem homenagens de patronos e acadêmicos notáveis, que são no geral, pessoas que colaboraram de alguma forma na construção e desenvolvimento do Amapá, sem esquecer os aspectos culturais e a preservação de patrimônios.

No total, são 45 notáveis e seus respectivos patronos. A escolha foi feita com critérios definidos pelos membros do Memorial, de acordo com sua importância, independente de classe social ou conhecimentos acadêmicos.

Walter Júnior, com amigos de Fortaleza que vieram para o evento

Walter Júnior, com amigos de Fortaleza que vieram para o evento

“Muitas pessoas já faleceram, outras estão com idade bem avançada, mas o importante é a relevância desses agentes públicos na construção de um Amapá mais próspero que temos hoje. E tudo terminará com um grande baile”, frisou o fundador que recebe na sede da entidade as pessoas que se disponibilizam em ajudar.

Memorial Amapá trabalha com parcerias. Uma delas é com a prefeitura de Macapá que visa dar visibilidade para a história das pessoas que dão nomes de ruas, avenidas e praças da capital. No sábado, 12, será inaugurada a primeira placa de resgate histórico na Praça Zagury. A identificação conta com a localização da praça, foto e breve histórico de Issac Zagury, que dá nome ao local.

Programação

No dia 12 de setembro, tem missa na Igreja Matriz São José às 7h

10h tem abraço no monumento

17h Instalação da Academia dos Notáveis, posse e entrega de diplomas e medalhas de Acadêmicos.

21h acontece o grande Baile, com músicas das décadas de 50 e 60, tocados pelas bandas Os Cometas e Babilônia.

Domingo, 13, às 10h acontece a reunião deliberativa do Memorial Amapá duas palestras e o debate sobre os objetivos do Memorial.

11h30min haverá Quermesse com comidas típicas e exposição de artes produzidas no Amapá.

 

Compartilhamentos