Compartilhamentos

Quase um mês depois de ter sido barbaramente espancado, o cão Costelinha, que tinha 1 ano e 8 meses aproximadamente, morreu no fim da tarde desta terça-feira, 29. Ele estava vivendo na casa de Victor Hugo, voluntário da ONG Anjos Protetores, que passou a cuidar do cachorrinho depois do episódio que acabou virando um emblema da luta contra os maus-tratos a animais no Amapá.

Costelinha vinha apresentando algumas sequelas, como sonolência exagerada. “Às vezes ele cambaleava e de repente apagava. Ele estava com uma virose, mas estava sendo tratado por um veterinário”,  lembrou Victor Hugo ainda emocionado.

Costelinha foi sepultado pelo amigo no quintal de casa: Foto Anjos Protetores

Costelinha foi sepultado pelo amigo no quintal de casa: Foto Anjos Protetores

Costelinha foi atacado pelo ex-lutador de MMA Benjamim Ferreira de Souza, no dia 31 de agosto, depois que ele viu o cachorro cruzando com a cadela dele, uma pitbull que havia se soltado e fugido para a rua.

Segundo testemunhas, o ex-lutador usou um pedaço de madeira para agredir o cachorro na cabeça e em várias partes do corpo. O animal, que desmaiou, foi socorrido por vizinhos com hemorragia pelos ouvidos, nariz e boca. A Delegacia de Meio Ambiente abriu um inquérito, mas não informou ainda a conclusão das investigações. O caso comoveu muita gente, com centenas de manifestações pelas redes sociais.

Por volta das 18 horas desta terça, Costelinha teve um ataque e morreu nos braços de Victor Hugo, que acredita que pode ter ocorrido um AVC.  “Não sei dizer, não teve ninguém pra fazer uma autópsia”, lamentou.

Victor Hugo sepultou o amigo no próprio quintal de casa, e chamou alguns companheiros da ONG que fizeram uma oração.

A história do cachorrinho que emocionou Macapá terminou debaixo da terra, mas para Victor Hugo e os Anjos Protetores a luta continua.  

Compartilhamentos