Compartilhamentos

A desburocratização na regulamentação fundiária da região Norte foi alvo de debates na manhã desta quinta-feira, 24, durante a 2ª reunião do Parlamento Amazônico, realizado na Assembleia Legislativa do Amapá. O objetivo dos deputados dos nove estados da região, é encaminhar alternativas para o desenvolvimento sustentável e o crescimento econômico da região.

“Os estados da Amazônia possuem problemas peculiares. Um deles é a falta de uma visão diferenciada para a Amazônia Legal. Nesse cenário, o Parlamento Amazônico visa unir forças para sensibilizar o governo federal para o que a Amazônia passa na realidade. Esse é o nosso principal foco”, frisou o secretário-geral do Parlamento, deputado Dr. Furlan (PTB).

Secretário geral do Parlamento Amazônico

Secretário-geral do Parlamento Amazônico, deputado Dr. Furlan: vamos nos unir. Fotos: Cassia Lima

O Parlamento Amazônico é formado por 240 deputados estaduais da região Norte. Eles representam cerca de 25 milhões de habitantes e 56% do território nacional. O papel do Parlamento é buscar o crescimento econômico e sustentável para a região, e principalmente integrar a região com o mercado nacional.

“Nossa primeira meta é a regularização fundiária. A meta é fazer com que os órgãos competentes, como  Ibama e Imap conversem entre si e gerem medidas rápidas e práticas iguais para o ribeirinho e o empresário”, explicou a deputada e vice presidente da Assembleia Legislativa do Pará, Ana Cunha (PSDB).

O evento reuniu parlamentares dos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Segundo a fiscal do Parlamento, deputada de Roraima Lenir Rodrigues, (PPS), a ideia é lutar pelo potencial político e econômico da região.

Deputada Lenir Rodrigues: vamos

Deputada Lenir Rodrigues: a ideia é lutar pelo potencial econômico da região

“Nós queremos protagonizar a discussão dos nossos problemas. Isso significa que vamos dar o tom de como a Amazônia deve ser tratada. O Amapá, por exemplo, é ideal para escoar a produção nacional para a Europa. Então, por que ainda estamos privilegiando os estados do sudeste? Nós temos capacidade de termos esse desenvolvimento socioeconômico”, enfatizou a deputada Lenir.

As próximas reuniões do Parlamento Amazônico ficaram definidas para ocorrer em São Luís (MA) no dia 22 de outubro; em Rio Branco (AC) no dia 26 de novembro e em Belém (PA) no dia 10 de dezembro.

Compartilhamentos