Compartilhamentos

Há quatro dias, quem procura o laboratório do Hospital das Clinicas Alberto Lima (Hcal), a maior unidade de saúde pública do Amapá, volta para casa sem previsão de atendimento. O laboratório está funcionando apenas para a demanda interna do hospital, ou seja, para pacientes internados ou em tratamento no setor de nefrologia e oncologia. Segundo a direção do hospital, a suspensão do atendimento é um problema elétrico no prédio, mas além disso, a empresa que administra os laboratórios alega ter cinco meses e meio de pagamentos atrasados.

Pacientes em busca de exames hoje pela manhã. Fotos: Cássia Lima

Pacientes em busca de exames hoje pela manhã. Fotos: Cássia Lima

A Secretaria de Saúde do Estado não pagou os meses de novembro e dezembro do ano passado. E em 2015, três meses e meio de serviços prestados também estão pendentes de pagamento. Na última quinta-feira, 27, os laboratórios suspenderam o atendimento a público externo. Cerca de 1,5 mil exames estão deixando de ser feitos por dia no Hcal, numa situação que também atinge o hospital do município de Santana. Por mês são 51 mil exames.

Outros exames também estão suspensos, já por causa do problema elétrico. O vendedor Elielton Leal dos Santos, de 23 anos acordou cedo para marcar um exame de radiografia do tórax para a mãe, que esta com muitas dores, mas ao chegar ao hospital descobriu que não há marcação de exames, e pior, nem previsão.

Aviso na porta do laboratório informando sobre a suspensão: 5 meses e meio de pagamentos atrasados

Aviso na porta do laboratório informa apenas sobre a pane elétrica. Empresa tem 5 meses e meio de pagamentos atrasados

“Essa é a primeira vez que tento marcar exame e já encontro dificuldades. Quando retornar vai ter aquelas filas enormes e provavelmente o encaminhamento dela já venceu. Minha mãe vai ter que esperar até quando?”, questionou ele.

Quem procura o laboratório nem entrar pode. Como a procura é grande, de todo o Estado praticamente, a diretoria colocou um aviso na entrada do laboratório informando que não há marcação e nem previsão de novos exames. Funcionários estão dando esclarecimentos a pacientes através de uma janela.

A secretária de Saúde do Estado, Renilda Costa, informou que o pagamento de um mês da empresa será realizado hoje. “Essa é a única nota que nós tínhamos aqui, mas vamos pesquisar pra saber se existem outros pagamentos pendentes”, informou.

O secretário adjunto de saúde, Antonio Teles Júnior, acrescentou que os hospitais ainda não enviaram as notas referentes aos 3 meses e meio. “Também já recebi o dono da empresa aqui e começamos a negociar os dois meses do ano passado”. Já a empresa disse que todas as notas foram protocoladas na Sesa. 

Compartilhamentos